sábado, 28 de fevereiro de 2015

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TRIENAL PARA A JUBERJ - 2015/2018 - agrada aos Conselheiros e Calebe Fonseca é eleito Diretor Executivo da JUBERJ - Juventude Batista do Estado do Rio de Janeiro

Amanhã, permitindo Deus, entrevista exclusiva com o novo Diretor Executivo!
Calebe Fonseca
Diretor Executivo da JUBERJ
Apresentação:
   Casado com Arina Paiva, membro da PIB em Papucaia, Cachoeiras de Macacu. Morador de Visconde de Itaboraí, bairro de Itaboraí, a 50Km de Niterói.
   Ainda garoto foi Embaixador do Rei, mais maduro chegou a 2º Conselheiro da Embaixada Pr Samuel Grion e presidente dos adolescentes na PIB em Visconde, sua primeira igreja.
   Em 2007 pediu carta para PIB em Itambi, também em Itaboraí, onde exerceu liderança junto com a esposa frente ao ministério jovem da igreja. Exerceu também na igreja de Itambi o cargo de tesoureiro.
   Em 2008 chegou a JUBABE (Juventude Batista Betel), onde atuou como diretor de comunicação e em 2009 assumiu como presidente completando um triênio de liderança.
   Por mais um triênio foi conselheiro fixo da JUBERJ (2010 – 2013), em seguida chegando a diretoria, onde exerce seu segundo mandato, o primeiro como vice-presidente da instituição. A alguns meses exerce o cargo de secretário executivo da Associação Betel.
   Profissionalmente foi assessor parlamentar de um vereador e posteriormente deputado estadual por 6 anos. Foi gerente de loja distribuidora de ferragens em Itaboraí, administrando pagamentos, funcionários e tudo relacionado a rotina administrativa da empresa.
 
Visão de trabalho
   Tendo nossa instituição a finalidade de orientar e coordenar o trabalho geral com adolescentes e jovens batistas do Estado, principalmente cooperando com as JUBAS e igrejas. Minha visão não será diferente e desprendida do nosso propósito de servir com o máximo possível de amor e esperança nessa juventude que tanto precisa do apoio de NÓS líderes.
   Não tenho a intenção e prepotência de liderar SÓ a JUBERJ, até porque estaria fugindo de princípios bíblicos, éticos e pessoais que tento sempre seguir.
   Vejo a JUBERJ como uma grande família, que como qualquer outra está cheia de defeitos e limitações e é por se considerar tão defeituoso e limitado que digo que caso eleito precisarei de todo apoio possível de TODOS os membros dessa família para liderar.
   Em alguns pontos podemos até divergir e isso é natural, mas vejo em geral uma grande vontade de chegar a um ponto em comum, um objetivo principal de caminhar para melhor agradar nosso Pai.
   Caso eleito, procurarei a todo momento seguir as orientações do nosso regimento e estatuto. Comportando-me como deve ser, além de irmão em Cristo, também funcionário de todo o Conselho. Vou dividir alegrias e decepções a todo momento, pois entendo que como profissional e até como membro dessa família, assim deve ser. Submetendo-me aos 55 líderes do nosso Conselho e liderado por TODA a JUBERJ.

Comportamento administrativo financeiro
Estatuto da JUBERJ
IV – DA DIREÇÃO E EXECUÇÃO
Art. 7º - “O Conselho Deliberativo da JUBERJ nomeará um secretário geral para administração e execução de suas decisões.”

Regimento Interno
V – DO CONSELHO DELIBERATIVO
Art. 45 – “O Conselho Deliberativo deverá nomear uma comissão de finanças e administração cujas atribuições são:
I – Examinar todo movimento financeiro da JUBERJ;
II – Elaborar o planejamento orçamentário da JUBERJ juntamente com o secretário geral para ser apresentado ao Conselho Deliberativo;
III – Avaliar e emitir parecer referente ao relatório financeiro apresentado pelo secretário geral da JUBERJ.”

Segundo o último livro do mensageiro da CBF/2014, que apresenta os relatórios financeiros de 2009 a 2013, a JUBERJ tem de receita pelo plano cooperativo em média nos últimos 5 anos o valor de R$ 6mil reais.

 Precisamos, como a CBF faz, com base em nossa receita média e com o auxílio da comissão de finanças e administração, montar nossa planilha orçamentária, dividir parcelas percentuais, gastos fixos e outros.


Propostas de contenção de despesas *

* Sujeito a análise criteriosa e embasada da comissão de finanças e administração e secretário geral.

Base – Livro do mensageiro da CBF 2014.

Devemos avaliar item a item, mas destaquei 3 exemplos onde tenho certeza que se bem avaliado podemos organizar as despesas.

1- Representação denominacional;
2- Telefone;
3- Alimentação.

1 - Representação denominacional:
- Nos últimos 5 anos gastamos em média algo em torno de R$ 6.800,00/ano. Como proprietário de carro e vendo a necessidade e vantagens de agilidade ao trabalho pela JUBERJ, ofereço à instituição a possibilidade de não se gastar alugando serviço de terceiros (táxi, aluguel de veículos) para servir de maneira mais prática e de menor custo, pois pagaria-se apenas o justo. Minha proposta é que a JUBERJ não pague valor fechado, mas apenas por Km rodado. Hoje, cada Km de um carro popular custa algo em torno de 0,40 centavos. Teríamos agilidade e a vantagem de dinamizar o trabalho de aproximação das JUBAS, foco principal nas representações denominacionais.

2 - Telefone:
- No último ano (2013) gastamos em média R$ 460,00/mês em ligações. Mesmo que plano fechado pela CBF, existe a possibilidade de conter despesas excessivas com telefonia móvel por exemplo, buscando melhores condições de uso, como a aquisição de linhas de outras operadoras pré-pago para se valer de promoções. O investimento na aquisição de chips é barato, em média R$ 10,00 por chip, e o custo benefício é relevante. Seria apenas colocar em prática o que já usufruímos em nosso dia a dia. Instituir na JUBERJ o que fazemos em casa para economizar.

Ex. VIVO P/ VIVO; OI P/ OI; TIM P/ TIM; CLARO P/ CLARO; NEXTEL P/ NEXTEL ETC.

3 - Alimentação:
- Soube que a CBF oferece num valor abaixo da média do mercado niteroiense (restaurantes externos) alimentação de qualidade (a mesma que usufruímos ao final de nossas reuniões do Conselho). Com isso evitaríamos de se gastar desnecessariamente o dinheiro da instituição com lanches e alimentos em restaurantes reconhecidamente mais caros. Adequando essa postura no dia a dia da instituição passaremos o exemplo para quando precisarmos gastar fora da sede.

Nota:

CONABERJ / JA / FESTA DA PRIMAVERA / INTERJUBAS

   Em vários momentos esses eventos demonstraram déficit. Não podemos admitir que qualquer evento planejado pela JUBERJ seja deficitário. Até mesmo os imprevistos financeiros devem ser calculados. Segundo o livro do mensageiro da CBF/ 2014, nos últimos 5 anos a JUBERJ apresentou déficit em 4.
   Para tentar evitar ao máximo e nos preparar ainda mais para o planejamento, além de publicá-lo previamente ao Conselho, após passar por avaliação da Comissão de Finanças e Administração, proponho a criação de uma secretária adjunta:

- Equipe Econômica:
Essa equipe servirá a JUBERJ como um braço técnico de apoio a Comissão de Finanças e Administração e ao secretário geral. Sua função será assessorá econômica, contábil e juridicamente os passos financeiros que a instituição precisa tomar. Em sua formação procuraremos jovens batistas formados ou em formação nessas respectivas áreas para nos auxiliar tecnicamente. Sua missão será viabilizar com indicações e análises o melhor caminho para uma gestão econômica sustentável.

Objetivos:
- Analisar os índices que determinam reajustes nas contas que envolvem a JUBERJ;
- Indicar caminhos econômicos que viabilizem menores gastos;
- Apresentar sugestões de progresso econômico sustentável para as gestões dos eventos;
- Analisar com comparativos os balancetes da gestão para inibir despesas;
- Indicar e analisar parcerias;
- Analisar contratos e implicações jurídicas e apontar o melhor caminho de trabalho;
- Apresentar assessoria jurídica que servirá de base para o desenvolvimento de parcerias entre a JUBERJ e patrocinadores;

Pré-parcerias
- Com banco:
Existe a possibilidade e já temos um canal para negociar a oportunidade da JUBERJ fechar parceria cultural e social.
 Abertura de conta universitária;
 Negociação de taxas para pagamentos de boletos dos nossos congressos;
 Financiamento e patrocínio à projetos sociais.

- Com viação:
Sondei a viação 1001 sobre negociação para fechar com dezenas de ônibus da empresa para atender nossa demanda (JUBAS), para a Festa da Primavera e InterJubas com melhores preços.

- Com fast food/refrigerante:
Existe um caminho aberto com empresas que já nos atenderam que podem fechar um valor para a JUBERJ em troca de exclusividade dentro da Festa da Primavera. A JUBERJ será atendida e ainda vamos gerar receita para a instituição.

Produção de conteúdo JUBERJ
   A JUBERJ tem ao seu alcance a grande possibilidade de expandir a sua mídia. Somos uma potência adormecida com grande capacidade de produção de conteúdo jovem cristão.
   Precisamos despertar e desenvolver através dos nossos jovens um trabalho de qualidade (o qual temos plenas condições) e trazer a juventude de todo Estado (e até além de nossas fronteiras) um trabalho impactante de mensagens inspirativas que permaneçam em nossos canais oficias, para que sejam repassados afim de encontrar espaço nos mais restritos cantos que precisamos alcançar.

 Identificar e valorizar jovens com aptidão para fotos, vídeos, blogs, etc.
 Descentralizar o trabalho de produção de conteúdo dos nossos encontros, oferecendo mais oportunidades e expandindo nosso trabalho de capacitação do trabalho jovem;
 Recolher em nossos congressos mensagens inspirativas de nossos convidados e líderes que permaneçam registradas e que veiculem em nossos canais oficiais;
 Identificar as contas oficiais nos atuais meios de comunicação (facebook, twitter, instagram) e restringir apenas aos indicados por nós (conselho) a oportunidade de manutenção dos mesmos. Os vários “links” da JUBERJ hoje ocasionam em momentos de dificuldades uma instabilidade a instituição. Por isso, ao meu ver, precisamos providenciar esse controle e declarar a oficialização dos meios que decidirmos.

Jovens Casados
   Apesar dos jovens estarem (por opção mesmo ou por diversas dificuldades) adiando a decisão de se casarem, ainda temos vários que podem e optam pela difícil, porém satisfatória decisão de constituir uma família.
   Por muitas vezes tínhamos em nossos calendários o objetivo de realizar um Congresso de Jovens Casados, mas infelizmente não foi possível.
   Acredito na força e importância de um relacionamento sério e pautado nas vias do Senhor para desenvolver fortes lideranças jovens e torná-los (casais) inspirações para liderados.
   Como não dominamos o assunto precisamos fechar parcerias com grupo ou instituição que tenha grande experiência e que nos auxilie para colocar em prática esse congresso.
 
 Está engatilhado uma parceria com o Ministério Oikos, do Pr Gilson Bifano (especialista em trabalho com família) para realizarmos um possível futuro congresso;
 De início precisamos agendar a médio prazo um Encontro para Casais. Como primeiro passo acessível haverá investimento nos jovens casais líderes do nosso conselho.
 Sendo a médio prazo, provavelmente apenas para 2016, tendo em vista nosso calendário 2015 estar fechado, teremos um grande tempo para investir na divulgação, programarmos planos de pagamento e procurar um bom hotel, que já tenho ideia, para fecharmos.

Projetos missionários
   Nossas JUBAS dão um show no que diz respeito a evangelismo. A JUBERJ não tem o que ensinar, pelo contrário, temos que reaprender com elas.
   Historicamente, tivemos na JUBERJ o PROMIS (Projeto Missionário) que até hoje arranca de ex-líderes que passaram por nossa instituição uma largo sorriso e satisfação pelos esforços missionários da instituição no passado.
   Precisamos sair das igrejas, congressos e encontros. Buscar parcerias “consagradas” no meio, nos aproximarmos de nossas juntas e reativar nossa coordenação de evangelismo.
   É preciso simplificar sem perder o desejo de mudança e busca pela renovação sadia e necessária que precisamos para a exposição inteligente da Palavra.

 Penso que o futuro coordenador de missões da JUBERJ precisa ganhar autonomia para projetar encontros missionários.
 O coordenador lançara convocações para encontros missionários liderados pela JUBERJ em alguma região do nosso Estado que esteja necessitando.
 Reconhecendo área carente do evangelho, fechando parceria com a JUBA local e associação, a JUBERJ ficará responsável pela convocação e montagem de estrutura mínima para enviar a equipe de evangelismo.

__________________________________________________
Encontro com Presidente
   Nossa missão é apoiar, capacitar e integrar a juventude batista do Estado. Mas hoje trabalhamos tão somente em momentos específicos. InterJubas, JA, CONABERJ, Festa da Primavera, Voe Alto, Liderança em Movimento, etc.
   Mais somos apoiados do que apoiamos. Procuramos capacitar nossos encontros com líderes, oferecemos as peças necessárias, ou pelo menos tentamos e na minha opinião falhamos em integrar, principalmente os relacionamentos entre nós mesmo.
   A JUBERJ precisa ser muito mais do que um grupo de afinidades. Precisamos ter ideia de família. Que como toda família haverá pessoas de diferentes opiniões e posturas, mas que precisam se amar. Não é utopia, é o evangelho de Cristo.
   Não há relacionamento que se desenvolva apenas com encontros de 3 em 3 meses em nossas reuniões do Conselho. Temos vários pastores, mas precisamos ser pastoreados. Magoamos e somos magoados. E para amenizar essa situação é preciso investir menos em representações e mais em participação na vida dos líderes.

 Dentro de um planejamento orçamentário a ideia é tirar um final de semana para visitar presidentes e tentar na medida do possível conviver com ele(a), estando junto , mas sem invadir a privacidade do mesmo(a) com sua família, em sua igreja e/ou visitando igrejas de sua associação. Participando de encontro com sua diretoria, etc.
___________________________________________________
InteraJubas
   O InteraJubas (Interação entre JUBAS) é uma ideia para aproximarmos as JUBAS, suas realidades e relação. Presidentes vizinhos não se conhecem, pouco se relacionam ou não há relacionamento algum entre eles.
   A ideia, além de promover essa aproximação já é também adiantar o início dos preparativos para a Festa da Primavera. No InteraJubas aproximaríamos JUBAS vizinhas para um dia de atividades. Durante o dia promoverão o jogo de futsal, podendo até mesmo realizar com o tempo oficial de um jogo, tendo a oportunidade de promoverem momentos de comunhão e evangelismo durante o dia e finalizando com uma celebração à noite realizada com a participação das JUBAS envolvidas.

 Simulação com Região Norte: JUBASEM VS JUBAPLA / JUBAPLAN VS JUBALEF / JUBANFLU VS JUBAENF / JUBACENF VS JUBAPI. Desses 4 encontros classificam-se no futsal para o InterJubas 4 equipes. As igrejas pagariam a inscrição para o InteraJubas apenas para bancar arbitragem. O deslocamento seria próximo, logo, mais barato.
 Hoje um dos principais problemas apontados por presidentes de JUBAS nessa região é o grande deslocamento. Da JUBASEM (de Macaé) para se deslocar para um InterJubas em Itaperuna (JUBAENF), por exemplo são 200km. É uma tentativa de facilitar a participação das JUBAS nas atividades da JUBERJ tornando-as mais próximas e viáveis em despesas programadas.

___________________________________________________
InterJubas
   Continuaremos a escolher uma JUBA para sediar o InterJubas, nosso tradicional encontro regional com objetivo de reunir TODAS as JUBAS. As classificadas no futsal, que levando-se em consideração a simulação feita com a Região Norte, passariam a ser 4 JUBAS no futsal, JUBAS que não pagariam outra inscrição no torneio.
   Acredito que finalizaríamos o futsal pela manhã. À tarde poderíamos realizar uma mini-Festa da Primavera local com TODAS as JUBAS da região. Realizando de maneira simples, utilizando da estrutura montada de uma igreja local que nos receberá.
   Como ex-presidente de JUBA e também com as experiências que escutei da maioria dos presidentes, sempre temos más exemplos de igrejas que não se conformam em ficar em 2º lugar nos Festivais de JUBAS.

 Penso em dar a essas igrejas a oportunidade de representarem suas JUBAS no InterJubas, nossa Mini-Festa da Primavera. Logo, presumo que será menos difícil aos presidentes em consolidarem suas caravanas para os InterJubas, pois não será apenas um dia de futsal (que ocorre quase durante todo o dia), fechando com o culto à noite.
 A estrutura seria futsal durante o dia, à tarde iniciamos nossa mini-Festa da Primavera com danças e músicas inéditas, naturalmente já fazendo dessa celebração nosso culto de encerramento do InterJubas.

___________________________________________________
Festa da Primavera
   Chegaremos a Festa da Primavera com 4 equipes para o futsal. Uma de cada região. A intenção é diminuir mesmo o número de jogos para que ganhemos tempo e unidade para outro trabalho que perdemos o foco ao longo dos anos, o evangelismo.
   Vários presidentes relataram sua decepção em esperar da JUBERJ um movimento evangelístico e compacto na Festa da Primavera. De fato perdemos esse foco, pois já saímos do futsal praticamente direto para a Festa.
   Com mais pessoas envolvidas podemos investir no evangelismo com crianças e obras sociais simples. Distribuição do plano da salvação, atividades na área jurídica e de saúde que envolva estrutura em que a JUBERJ tenha capacidade de desenvolver.

 Com menos times, menor tempo de uso para o futsal. Terminamos o futsal e unificamos forças para o evangelismo. Fechamos o evangelismo e ainda teremos, provavelmente, tempo de almoço para em seguida tentarmos atender a um outro pedido dos presidentes e líderes que é começar a Festa da Primavera na hora certa.
 Precisamos nos atentar as dificuldades no retorno das JUBAS para suas cidades. Quanto mais objetiva e organizada a Festa, mais possibilidades de conforto e segurança ofereceremos as JUBAS ao retornarem. – Vamos tentar a todo custo simplificar e organizar nossa Festa para privilegiar essas questões importantes e beneficiar nossas JUBAS, além de preservar nossos líderes que tomam tantas responsabilidades com suas caravanas.
___________________________________________________
Voe Alto
   Como o Retiro dos pastores deve ser para os pastores, o Voe Alto deve ser para a JUBERJ uma grande oportunidade de estreitar laços de liderança, compartilhar alegrias, tristezas, sonhos, decepções, erros e acertos.
   É no Voe Alto, nosso congresso de liderança, que temos a oportunidade e necessidade de abrir nosso coração e expor nossas ideias.
   Mas chegou a hora de voarmos ainda mais alto. Penso em transformar nosso congresso de líderes (hoje para presidentes de JUBAS e poucos convidados) para TODO líder jovem batista do nosso Estado.

 Com a retirada do CONA 2 da nossa agenda, podemos inserir o Voe Alto já à partir de 2016 em mais uma de nossas ações pró-liderança para tentar atender as necessidades dos milhares de líderes carentes e sedentos de cuidado e ensinamentos específicos para seus chamados.
 O lançamento dessa nova fórmula, como deve ser para todos os encontros da JUBERJ, já seria articulado à partir desse ano e a estrutura poderíamos montar como a estrutura do JA. Lógico que devemos começar como o próprio JA começou, com os pés no chão, talvez até tendo que buscar por questões de adequação financeira um local mais barato, porém que atenda nossas necessidades, mas objetivando avançar e atender melhor nossos líderes.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Café com Cristo - A graça de Jesus jamais me faltará


Ainda menino, aprendi um cântico que diz assim: A graça de Jesus jamais me faltará / Jamais me faltará, jamais me faltará / Eu canto noite e dia, dia e noite sem parar / Com muita alegria, sem nunca me cansar / A graça de Jesus jamais me faltará / Jamais me faltará no coração.
Esquecido durante muito tempo, foi relembrado recentemente e tenho cantado em vários lugares. Preocupado com as reações pela antiguidade, cantei a primeira vez com certa timidez. Para surpresa minha, não foi uma reação, mas várias, do tipo “canta de novo, que hino lindo”.
Mas a alegria maior é a que experimentei com um enfermo em estado terminal. Resistente ao evangelho por toda a vida, enfrentando um câncer, fui visitá-lo. Numa das primeiras visitas, tratou muito mal a esposa e a mãe na minha frente. Pensei em não voltar. Mas voltei. E, numa visita, arrisquei cantar o cântico pra ele. No fim, ele disse: “Gostei, canta de novo”. Pensei que estivesse ironizando. Ele insistiu: “É muito bonito, canta de novo, quando não gosto, eu falo”. Daquele dia em diante, em todas as visitas, cantávamos alegremente. E todas as vezes, ele sorria. Tudo isso aconteceu depois de uma visita de uma irmã, quando ele disse que aceitava a Jesus.
Realmente, a graça de Jesus jamais nos faltará!

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Programa de TV desta semana

Café com Cristo - Profeta mesmo só pede água


João 4 narra o encontro de Jesus com a mulher samaritana. Cansado pelo esforço da caminhada, Jesus para perto do poço de Jacó, encontra-se com uma mulher, de Samaria, começa um diálogo, pede água e, no final, ela tem sua vida mudada pelo poder do Espírito Santo.
A vida da mulher estava totalmente desordenada. Suas práticas reprovadas. Sua condição familiar mau exemplo. Suas crises patentes.
Respondendo asperamente à primeira intervenção de Jesus (Como pede de beber a mim, que sou mulher samaritana? - havia uma briga entre judeus e samaritanos), no final, torna-se dócil a ponto de sair de onde estava, esquecer o que fora fazer ali, que era pegar água, vai à cidade, anuncia a todos que o profeta esperado tinha chegado. Muitos se convertem.
Tudo foi possível em função da reação do profeta. À sua indelicada resposta, a mulher ouve: “Se tu conhecesses o dom de Deus e quem te pede água, tu lhe pedirias e ele te daria da água da vida!”. A segunda resposta da mulher revela seu parcial interesse: “Dá-me dessa água para que eu não venha mais aqui tirá-la!”. Embora seu pedido inicial fosse em outro sentido, à frente percebe-se que ela recebeu a água da vida! E sua vida foi mudada!
Jesus saiu dali sem nada pedir. Só água! Profeta mesmo só pede água! Isso não significa que não desafiará o povo, mas negócio com a bênção de Deus não é coisa de profeta.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

É possível o senhorio de Jesus na vida do cristão?

Mensagem pregada na Igreja Batista do Braga, Cabo Frio, RJ, no dia 15 de março de 2015, noite, domingo de carnaval.

Não é só você que enfrenta problemas


            Certo dia, uma colega professora me perguntou: “Neemias, você não tem problema? Eu nunca vi você lamentando! Parece ter sempre a vida tranquila”. Ela não sabia, mas, naquela semana, enfrentava um grande problema. Isso pode bom ou ruim, pois pode revelar sobriedade no meio da tribulação ou tentativa de esconder ou apresentar outra realidade. Avalie você!
            É muito comum a reação de pensar que só a gente enfrenta problemas. Normalmente, vemos os outros sempre em situação melhor e mais cômoda. Mas não é assim, todos enfrentamos problemas. O que muda são as reações e como as pessoas enfrentam os problemas.
            Lendo a Bíblia com a intenção de esclarecer o assunto, você verá que homens e mulheres de Deus enfrentaram grandes problemas. Alguns reagiram de um modo. Outros, de outro. A lição é que ninguém está livre e que as reações variam de acordo com as circunstâncias. Penso sempre que o único lugar aqui na terra onde não se enfrenta problemas é no cemitério. Assim mesmo para os que são levados pra lá. Os que vão por conta própria, ou para trabalho ou para levar alguém, também enfrenta.
            Jesus enfrentou problemas de toda a sorte. Ora os seus discípulos criavam situações difíceis para Ele. Ora os líderes religiosos e políticos de sua época faziam o mesmo. Paulo enfrentou em abundância. Chegou a registrar um caso curioso: “Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras” - II Timóteo 4.14. Em outro texto, foi bem duro: “Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé. E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar” - I Timóteo 1.19-20.
            Você enfrenta problemas? Não se desespere! Confie em Deus! Aproveite o momento para aprender! Os obstáculos são capazes de testar a resistência e disciplina de um atleta. Os problemas, a dependência de Deus por parte dos cristãos.
            Deus te abençoe!

Pr. Vanderlei Batista Marins, novo presidente da Convenção Batista Brasileira, em seu discurso de posse, declara: "Darei o tom desta gestão!".


Discurso de Posse como Presidente da Convenção Batista Brasileira, proferido no Centro de Convenções Serra Park, Gramado, RS, na Assembleia Anual da Convenção Batista Brasileira, no dia 10 de fevereiro de 2015.

Prezados irmãos, este é, para mim, um momento muito especial, porque reconheço o valor de nossa de nossa denominação, a grandeza do reino do Senhor e as possibilidades da Convenção Batista Brasileira. Por isso, me dirijo aos irmãos com temor e tremor, mas na certeza de que o Senhor nos conduzirá por mais esses dois anos. E assim como abençoou os trabalhos da gestão do Pr. Luiz Roberto Silvado e de toda a diretoria que, com ele, atuou, também abençoará o nosso trabalho. Confiamos no Senhor e dependemos d'Ele. Temos certeza que, por nós mesmos, não iremos a lugar algum, mas, guiados pelo Senhor, chegaremos aonde Ele deseja e queremos caminhar realmente com o Senhor.

Batistas brasileiros, sejamos integralmente submissos a Cristo, este é o grande desafio, pois "libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna". Fomos, pelo Senhor, ministrados na instrumentalidade de servos d'Ele, irmãos nossos. E como nos fez bem a liderança de nossos irmãos que concluíram o mandato neste momento, mas, também, servos do Senhor, irmãos nossos, que, usados pelo próprio Senhor, puderam abençoar nossas vidas, sendo instrumentos de Deus, para que Ele fizesse fazer chegar a nós mensagens desafiadoras. Integralmente submissos a Cristo, experimentando os efeitos da graça libertadora, integralmente submissos a Cristo, evidenciando uma nova condição de vida, mas, também, refletindo as bases que instrumentalizam qualidade espiritual, arrependimento, quebrantamento e atitude de retorno a Deus, sobretudo focando no alvo final a vida eterna.

Agradeço de coração aos irmãos a confiança que depositaram em mim e nesta diretoria. Particularmente, é um momento muito especial na minha vida. Converti-me ao Senhor Jesus Cristo, sendo batizado no dia 28 de agosto de 1982, na Igreja Batista em Amontado, no sertão de São João da Barra. Deus me tirou, me resgatou da caminhada que havia iniciado, preparando-me para o sacerdócio católico. Por isso, fui expulso de casa. E, aqui, preciso prestar uma homenagem a três pessoas. Ao pastor Gaspar Carneiro de Araújo, o meu pastor, que me batizou e nunca se distanciou de mim, que acreditou em mim, que me ajudou como a um filho. Também agradecer ao Pr. Dr. Ebenézer Soares Ferreira, que me acolheu no Colégio Batista Fluminense, a minha casa, onde fui abrigado e, ali, além de continuar meus estudos, pude residir e sou grato a Deus pela visão, pela generosidade desse querido irmão, Dr. Ebenézer Soares Ferreira. Mas também à missionária Raimunda Lima Gomes de Barros, ela está presente neste auditório. Com ela, aprendi o amor por missões e o desejo de ganhar almas para Jesus. Reconheço a bondade desses irmãos. Tenho contado com o apoio da Igreja que sou pastor, a Primeira Igreja Batista em Alcântara, Rio de Janeiro. Também da Convenção Batista Fluminense
 que, por vários anos, diversas vezes, tem-me concedido o privilégio de presidi-la. E reconheço o grande amor da minha família, minha esposa e meus filhos.

Batistas brasileiros, precisamos valorizar a nossa base, e a nossa base é a Igreja. Também as associações e as convenções estaduais. Não é da Convenção para a Igreja, mas é da Igreja, a igreja é o ponto de referência. A Igreja encontra-se acima de mim e de qualquer pessoa. No que diz respeito à individualidade, ela é mais importante do que qualquer líder. Preciso também deixar claro neste momento que não somos melhores do que ninguém, nem mais importantes. Como diretoria, não somos estrelas da denominação, nós somos servos de Cristo e servos dos servos de Cristo. Somos cooperadores do evangelho e trabalhadores da lavoura de Jesus Cristo. Espero, prezados irmãos, neste mandato, valorizar mais Deus do que projetos, espero valorizar mais as pessoas do que as instituições, respeitá-las e tudo fazer para investir nelas, zelar pela integridade, pela estrutura, funcionamento saudável, obviamente, em nossas instituições, respeitar, valorizar e praticar a Bíblia, inerrante, plena, total, absoluta e imutável palavra de Deus, observar e fazer cumprir os documentos constitutivos de nossa querida Convenção Batista Brasileira, respeitar a Igreja, povo de Deus, expressão do reino, vitrine do Senhor neste mundo, entendendo que é na Igreja que aprendemos a viver nos céu, e é na Igreja que preparamos o tempo para a eternidade. Neste mandato, também desejo prestigiar e honrar os obreiros e obreiras do Senhor que deram de si para que fôssemos o que somos. Mas também homenagear os presidentes e diretorias que nos antecederam, reconhecendo o valor desses irmãos, reconhecendo a instrumentalidade deles, o zelo que tiveram e tudo que fizeram somos gratos a Deus por eles. Mas também os ilustres executivos que atuaram e que atuam para promover a obra batista em solo pátrio. Peço licença a este plenário para render homenagens, as minhas homenagens, à memória do pr. João Falcão Sobrinho, ex-executivo desta Convenção, convocado recentemente à presença do supremo pastor.
Preciso, irmãos batistas brasileiros, como presidente, priorizar algumas coisas. Em primeiro lugar, me inteirar de como realmente, em essência, está a Convenção Batista Brasileira, pois, doravante, respondo por ela. Como está a vida patrimonial, administrativa, financeira, jurídica e gerencial de todos os segmentos, respeitar os líderes, na expectativa de que por eles seja também respeitado. Depois de ter recebido todas as informações, e vou encaminhá-las a quem de direito, aos setores competentes, depois de ter todas as informações para instruir minhas ações, então, convocarei os meus pares, a diretoria da Convenção, pois faremos um trabalho de equipe e em equipe, mas serei o líder desta equipe, pois para isto os irmãos me elegeram nesta Assembleia, darei o tom desta gestão, pela graça de Deus e para a glória de Deus, darei o tom desta gestão. Mas ouviremos os campos, os líderes, os que querem contribuir, tendo um canal aberto para dialogar com todos que desejam o progresso da obra batista brasileira. Nunca fui presidente desta Convenção, mas ajudei em alguns momentos na Presidência, como vice, em gestão anterior. Sendo assim, meus irmãos, não trataremos ninguém de uma outra forma, senão com cordialidade, principescamente, porque os irmãos são jóias de Deus. Não trataremos ninguém no âmbito da Convenção Batista Brasileira como empregados, muito menos subalternos, mas como parceiros, responsáveis no cumprimento da mordomia que a nós o Senhor confiou. O que é de Deus deve ser cuidado com mais empenho e desvelo. Valorizar as gerações e trazer a juventude. Logo que fui eleito, conversei com a irmã Gilciane, manifestando o desejo do meu coração de que nas próximas assembleias teremos a participação efetiva da Juventude Batista Brasileira, mas sem prescindir das demais gerações. Dando oportunidade aos novos, é bem verdade, mentoreando-os para que construam a história, preservando a herança.

Convicção não deve nos faltar nas ações, pois ninguém vai além daquilo que crê, o que cremos define a nossa identidade, define o nosso estilo de vida, mas também a nossa perspectiva de futuro. Investir na unidade da denominação, afastar qualquer possibilidade de cisma, de desânimo, deve ser o ideal de todos nós, porque divisão nada justifica divisão, pois isto não é de Deus, e nós somos de Deus e irmãos.

Concluo, reconhecendo a liderança de meu antecessor, Pr. Luiz Roberto Silvado e os seus pares e para esses irmãos que conduziram de uma forma amistosa, amorosa, sendo voz corrente, uma das mais expressivas assembleias convencionais, o seu nível de espiritualidade e o seu empenho em ganhar almas para Jesus. Que Deus derrame as bênçãos dos céus, pr. Silvado, sobre o irmão, sobre todos os que estiveram na mesa, que Deus prospere a obra das mãos dos irmãos, que Deus possa recompensá-los com graça. E peço a este plenário que, para a glória de Deus, mas em reconhecimento ao trabalho desses irmãos, peço uma salva de palmas seja apresentada como nosso reconhecimento, nossa gratidão ao Pr. Silvado, ao Pr. Éber Silva, Pr. José Laurindo, Dona Iracy, a irmã Tânia, o Pr. Oliveira Araújo, a irmã Alzira, ao Dr. Lincoln, Deus abençoe os irmãos. Reconheço a liderança desses irmãos, quem não respeita a liderança dos outros não conhece o que significa liderança e quem não prestigia quem está na liderança é porque não deseja caminhar regido, não apenas por normas, mas pela consciência ética e pelo respeito àquele que Deus coloca na frente. Também reconhecemos a liderança do Pr. Sócrates Oliveira de Souza e a sua equipe. Reconhecemos também o grande valor dos gaúchos e reconhecemos a expressiva atuação desse amável povo de Deus, que se chama batista brasileiro.

E a palavra do Senhor, com ela termino, e ela nos diz: Que diremos, pois a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Somos justificados pelo Senhor. Arremata o apóstolo das gentes e ele arremata esse texto da seguinte maneira: Porque estou certo de que nem a morte nem a vida, nem a altura nem a profundidade, nem o presente nem o porvir, nada nos separará do grande amor de Deus em Cristo Jesus, o nosso Senhor. Somos unidos, entrelaçados pelos laços do calvário e o amor de Jesus marcou o nosso coração e o selo do Espírito nos garante a vitória em todas e quaisquer que sejam as circunstâncias. E diz-nos o salmista: Elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro? o meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra. Ele não deixará vacilar o teu pé, o meu pé. Aquele que te guarda e que me guarda não dormitará. Eis que não dormitará e nem dormirá o guarda de Israel, nós somos o Israel de Deus. O Senhor é quem te guarda, o Senhor é a tua sombra à tua direita, o sol não te molestará de dia e nem a lua de noite. O senhor te guardará de todo o mal, Ele guardará a tua alma. O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída desde agora e para sempre. Que o Senhor, o meu e o nosso Deus, nos guarde como diretoria, entrando neste momento e que ele continue nos guardando até aquele momento em que passarmos as responsabilidades àqueles que Deus, com certeza, há de separá-los, atavés do reconhecimento dos batistas brasileiros para o novo período a partir de 2017. Que Deus nos abençoe e não nos esqueçamos, irmãos, mais importantes do que as coisas é o Senhor e as pessoas e como é bom respeitar a liderança e ser respeitado por ela. Que esta nossa querida Convenção Batista Brasileira continue tendo dias de progresso, de revitalização e de avanço na obra bendita do evangelho de Cristo Jesus. Como operadores do evangelho e como lavradores da lavoura de Jesus Cristo, a sua Igreja, querida e santa, e por nós amada.

Que Ele nos abençoe, Amém!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Que fazer diante das adversidades?


Todo o sermão é baseado na Carta de Paulo aos Filipenses.

Introdução:
Contexto: Paulo preso possivelmente em Roma.
Apesar deste contexto, ela é chamada de "Carta da Alegria"

1º - Tenha consciência de quem você é a quem você pertence
1.1 - Servo - Escravo
1.2 - De Jesus Cristo

Filipenses 1.1 Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus, que estão em Filipos, com os bispos e diáconos:

2º - Seja agradecido
Filipenses 1.3 Dou graças (agradeço) ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós,

3º - Apresente pedidos de oração com valores eternos
Filipenses 1.9 E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento,
10 Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo;
11 Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.

4º - Saiba que tudo que acontece com a gente contribui para o nosso bem
Filipenses 1.12 E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho;
13 De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares;
14 E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.

5º - Não julgue os outros precipitadamente
Filipenses 1.15 Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade;
16 Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.
17 Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.
18 Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.
19 Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,

6º - Reafirme valores eternos
Filipenses 1.21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
22 Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.
23 Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.

7º - Respeite e valorize ainda mais o seu semelhante 
Filipenses 2.3 Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.
4 Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.

8º - Saiba que Deus está no controle absoluto de tudo
Filipenses 2.13 Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.

9º - Não murmure, testemunhe
Filipenses 2.14 Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas;
15 Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo;

10º - Sinta a dor do outro, mesmo que a sua seja muito intensa 
24 Mas confio no Senhor, que também eu mesmo em breve irei ter convosco.
25 Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão e cooperador, e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades.
26 Porquanto tinha muitas saudades de vós todos, e estava muito angustiado de que tivésseis ouvido que ele estivera doente.
27 E de fato esteve doente, e quase à morte; mas Deus se apiedou dele, e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse tristeza sobre tristeza.
28 Por isso vo-lo enviei mais depressa, para que, vendo-o outra vez, vos regozijeis, e eu tenha menos tristeza.

11º - Reavalie seus valores e suas verdadeiras motivações na vida
Filipenses 3.1 Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.
2 Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão;
3 Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.
4 Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu:
5 Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu;
6 Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível.
7 Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.
8 E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,
9 E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;

12º - Não deixe o passado dominar você, viva o presente e tenha esperança no futuro
Filipenses 3.13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,
14 Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

13º - Mantenha sempre a alegria
Filipenses4.4 Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.

14º - Confie tudo a Deus em oração
Filipenses4.6 Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.
7 E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.

15º - Não negocie valores éticos
Filipenses4.8 Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.
9 O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.

16º - Aprenda a se contentar com a situação
Filipenses4.10 Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade.
11 Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.
12 Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.
13 Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

17º - Creia que Deus suprirá todas as nossas necessidades (não vontades)
19 O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus.

18º - Alimente a esperança do céu
Filipenses 3.20 Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,
21 Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.

Conclusão:
Tudo passa! A lágrima seca! A dor cessa! O mar fica tranquilo.
Confie em Deus!

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Prefeito Alair Correa divulga nota sobre condenação


Um jornal local, de forma imprudente e infeliz, lançou uma reportagem a meu respeito, na data de hoje, referente a um processo que tenho na justiça, o qual fui absolvido em primeira instância e, após recurso do Ministério Público, fui condenado ao pagamento de multa, pelo simples fato de ter realizado obra essencial em uma escola para início das aulas e alugado uma Kombi escolar em caráter emergencial para não deixar nossos alunos sem transporte e poder ter o direito de estudar e ainda ter realizado propaganda institucional mostrando à população a transformação que fizemos na cidade de Cabo Frio a qual, antes de assumirmos, estava entregue às moscas.

Ao contrário do que este jornal local leva a crer, fui apenas condenado ao pagamento de uma multa, pois conforme salientou o juiz da causa, tratou-se de meras irregularidades formais. Gostaria de dizer à população que nunca deixei e jamais deixarei o meu povo entregue a sua própria sorte como faziam os governos passados, principalmente por mera burocracia administrativa. Em momento algum vou deixar nossas crianças sem direito a educação, pois sem ela, não construiremos um mundo melhor. Pagarei quantas multas forem necessárias, mas não abandonarei o meu povo.

Alair Correa

Nota: 
Texto extraído do blog do Professor Chicão

Igreja Pentecostal Deus é Amor está de Luto: Descansa no Senhor o seu líder espiritual Missionário Davi Miranda


Em nota oficial no site da Igreja Pentecostal Deus é Amor, o povo brasileiro tomou ciência da partida para o descanso eterno do Missionário Davi Miranda, fundador da Igreja.
Veja a nota na íntegra:

Nota de Falecimento  
É com muito pesar que a Igreja Pentecostal Deus é Amor notifica que o miss. David Miranda, homem muito amado, caridoso, amoroso, responsável, temente, querido, usado e fiel a Jesus Cristo, faleceu no dia 21 de fevereiro de 2015, às 23h45, com 79 anos, de infarto.

Miss. David Miranda era casado com a irmã Ereni Miranda, pai de quatro filhos (David, Débora, Leia e Daniel), além de netos. Ele aceitou a Jesus em 1958, daí em diante, a dedicação a Deus foi diariamente, até ouvir a voz dEle para fundar a IPDA: ‘Igreja Pentecostal Deus é Amor’.

Dia 03 de junho de 1962, ele fundou a IPDA, através da revelação do Espírito Santo, uma igreja que cresceu grandemente, tendo hoje mais de 22 mil igrejas espalhadas no Brasil e no mundo, aproximadamente. Ademais, o ‘ Templo da Glória de Deus’ (capacitado para receber 60 mil pessoas, com estacionamento para 500 automóveis e 143 ônibus) é uma de suas conquistas.

A tristeza está por causa da notícia de um homem de Deus que partiu. Um homem cujas lembranças sempre serão de fé, amor, dedicação na obra do Senhor, entre outras qualidades notórias. Entretanto, a felicidade é em saber que ele está perto do que vive para todo o sempre: Jesus Cristo. Os dias dele foram, especialmente, para adorar e buscar a Deus, ganhando almas ao Seu Reino. De fato, ele deixa vários exemplos: de pai, de esposo, de vô, de amigo etc. Soube ouvir, falar, aconselhar, pregar e conquistar.

Notificamos também que o culto fúnebre iniciou-se às 08h, do dia 22 de fevereiro e vai até 24 de fevereiro de 2015, às 12h, no Templo de Glória de Deus, localizado na Av. do Estado, 4.568. Neste momento, pedimos que nossas orações e sentimentos sejam dedicados para a família do missionário e aos membros por esta perda; para que Deus conforte os corações.

Mais tarde, o Jornal O Globo on line publicou matéria conforme abaixo:

Morre David Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor
Missionário tinha 79 anos; igreja foi fundada em 1962.
Deus é Amor tem mais de 11 mil igrejas espalhadas pelo Brasil.

David Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor, morreu aos 79 anos (Foto: Reprodução/Facebook)

O missionário David Martins Miranda, fundador da Igreja Pentecostal Deus é Amor, morreu aos 79 anos na noite deste sábado (21), de infarto, informou a igreja em nota. David Miranda era casado com Ereni Miranda e pai de quatro filhos, David, Débora, Leia e Daniel.
O culto fúnebre começou às 8h deste domingo, no Templo da Glória de Deus, localizado na Avenida do Estado, nº 4568. O templo tem capacidade para mais de 60 mil pessoas.
O missionário fundou a igreja em 1962. Hoje, a Deus é Amor tem mais de 11 mil igrejas espalhadas pelo Brasil e mais em 136 países.
No Facebook, Débora Miranda, filha de David e diretora da igreja, lamentou a morte do pai: "Um homem guerreiro..lutador...é recolhido ao paraíso de Deus!! Descansa no Senhor...o Missionario David Miranda!! Meu paizinho ...te amarei pra sempre!!!".

Fonte:
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/02/morre-david-miranda-fundador-da-igreja-pentecostal-deus-e-amor.html




Café com Cristo - Família e amigos não resolvem na hora do sofrimento


Jó é conhecido como o rei da paciência. É comum ouvir “fulano tem paciência de Jó”. É verdade que nem sempre é paciência, sim, passividade. Paciência significa, dentre outros, resignação para enfrentar os problemas e, muitas vezes, no texto bíblico perseverança.
Mas voltemos a Jó: prosperidade, família bonita e feliz, terra produzindo, vida tranquila, homem justo, íntegro e que não praticava o mal. De repente, pobreza, perda dos filhos, falta de produção, temporal violento. A vida é assim, de uma hora pra outra, tudo pode mudar, ou para bem ou para mal. E na vida de Jó mudou para mal.
Nessas horas se conhece verdadeiramente o caráter de uma pessoa. Ele é conhecido no meio do temporal. Não se conhece o caráter de alguém com o mar está tranqüilo, seguindo o seu curso normal, mas quando se enfrenta um confronto, seja ele de ordem material, moral e ética, física ou psicológica.
Sua esposa sugeriu-lhe amaldiçoar a Deus e morrer. Ele disse não. Seus amigos lhe apresentaram teologia capenga e equivocada. Ele contestou. Sofreu, foi moído, experimentou dores, mas confiou. E no final, foi vencedor. Tudo em dobro.
A prova não era para Deus, este o conhecia. Era para o diabo, para Jó, seus amigos, família e para nós. Por isso, Jó declarou: “Antes eu te conhecia de ouvir falar, mas, agora, os meus olhos te veem”.
Conheçamos Deus como Jó, pois na hora do sofrimento nem família nem amigos resolvem o nosso problema.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Finanças é o assunto

Com o objetivo de orientar os crentes a respeito de possíveis dificuldades na economia brasileira, acarretando problemas financeiros, a IGREJA BATISTA DO BRAGA promove um painel sobre o assunto finanças. 
O Dc. Moisés Cunha, gestor financeiro, e o Pr. Neemias Lima apresentarão um conteúdo e responderão perguntas dos participantes. Vale a pena!
Veja o banner abaixo. Clique nele para ampliar!

Estudo da Escola Bíblica Dominical - 22.02.2015


Lição 8 - A vigilância com perseverança

Texto Bíblico: Efésios 6.18b

Na intensa BATALHA ESPIRITUAL, precisamos urgentemente estar vigiando com toda a perseverança. Esse alerta feito por Paulo implica em prestarmos atenção constantemente, sem descuidamos um só instante do foco.

Um trabalhador estava desempregado e saiu em busca de uma colocação no mercado. Como não tinha qualificação profissional, conseguiu uma vaga na construção civil. Ele foi designado para ser vigia em um grande prédio que estava sendo construído num bairro nobre da cidade. O seu horário de trabalho era das 18h às 06h. Chegando ao local, o responsável deu-lhe as instruções específicas e bem claras: “O senhor será o responsável por vigiar, à noite, constantemente, todo esse material de construção que está estocado aqui”.

Foi-lhe dado vestimenta própria de vigilante e os equipamentos necessários para que ele executasse com seriedade a sua função. Deram-lhe, também, um telefone celular para solicitar ajuda de emergência. O trabalho não era difícil, mas exigia-se uma vigilância constante contra os ladrões de materiais de construção que atacavam aquela região. Ele novamente foi alertado e avisado: “Tome cuidado e vigie. Não descuide!”

O problema é que aquele trabalhador nunca havia atuado como vigia. Tinha experiências em outras áreas: balconista, entregador, ajudante de obras, auxiliar de motorista... Mas, vigia noturno, não! Tudo era muito novo para ele. Nos primeiros dez dias de trabalho, tudo correu bem, sem nenhuma intercorrência. Desde que assumiu aquele trabalho, a obra não sofreu nenhuma ameaça. Nem sequer um evento que gerasse preocupação para ele. Mas ele fazia por onde: sempre que assumia seu posto, pegava uma lanterna e vasculhava todas as áreas. Ah! Que trabalho bom!

Quando estava no vigésimo dia de trabalho, ele pensou: “Bem, até agora não aconteceu nada, o lugar é tranquilo, a obra não sofre ameaças, não houve um único incidente... Então, em vez de ficar acordado a noite toda, eu vou fazer a vigilância até a meia-noite e depois, vou tirar um cochilo. Claro que não vai haver problemas!”. E assim procedeu...

Mas, no dia seguinte, às 06h, foi acordado aos gritos pelo responsável da obra: “Acorda, rapaz, veja o que aconteceu!” Quando aquele trabalhador olhou ao redor, ladrões haviam entrado na obra e levado todo o material de construção e ainda as ferramentas. E ele ouviu solenemente: “Você está despedido por justa causa!”. Despedido antes de completar o primeiro mês de trabalho...

1. A vigilância é uma condição para a vitória.
Jesus nos exorta e alerta com a parábola da figueira: “Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até no dia em que Noé entrou na arca... Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá” (Mt 24.32-44). Na sequência do mesmo capítulo, o Senhor Jesus, ao narrar a parábola do bom servo e do mau, finaliza dizendo: “Se aquele servo, sendo mau, disser consigo mesmo: Meu senhor demora-se, e passar a espancar os seus companheiros e a comer e beber com ébrios, virá o senhor daquele servo em dia em que não o espera e em hora que não sabe...” (v. 45-51).

Desejo aqui destacar a expressão “vigiai”, repetida enfaticamente por Jesus: Mt 24.42; 25.13; 26.38 e 26.41. E em Apocalipse 16.15, lemos: “Bem aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha”.

2. A vigilância deve ser associada à perseverança.
Paulo afirma: ”Vigiando com toda perseverança” (v.18). Vigiar é estar alerta, tal como um soldado em batalha precisa manter-se vigilante, para não ser apanhado de surpresa. Sem a vigilância, o soldado pode ser subitamente atingido e derrotado. Por isso, o apóstolo nos adverte, dando um tom de gravidade ao confronto: “Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Ef 6.12). Estamos envolvidos em uma luta desigual (“hostes espirituais do mal”) e o soldado espiritual vigia, aguardando a oportunidade de usar com eficiência “toda a ARMADURA DE DEUS”, reforçada com a oração.

O lutador cristão não pode baixar a guarda. Ele precisa conservar o espírito de alerta, com total vigilância, conforme o alerta do Senhor Jesus: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26.41). E, novamente Paulo, um experiente estrategista militar, alerta: “Perseverai na oração, vigiando”. (Cl 4.2).

3. A vigilância sem a perseverança é falha
O apóstolo Paulo está afirmando que precisamos ser constantes, ter paciência e insistir em vigiar. E Jesus nos ajuda a entender a seriedade desse assunto, quando narra a parábola do juiz injusto e a viúva. Em seu relato, o Mestre aborda a temática da insistência usando como imagem aquela pobre mulher que insistia, pedindo: “Julga a minha causa contra o meu adversário... Não fará Deus justiça aos seus escolhidos, que a ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defendê-los?” (Lc 18.1-8).

A batalha é contínua, constituída de uma série de intermináveis conflitos. Nenhuma vitória ou término de guerra são esperados enquanto o cristão não for libertado do corpo, mediante a morte. A perseverança é força propulsora para a oração.

4. Em que precisamos vigiar com perseverança?
4.1. Vigilância contra o materialismo e o hedonismo. Os valores do Reino foram invertidos: em vez de Deus em primeiro lugar, busca-se coisas em primeiro lugar. Paulo adverte seu filho na fé, Timóteo: “Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis” (2 Tm 3.1). O amor, por ser um dom, muda o ser humano de forma integral. Atualmente, a subversão e a corrupção já não causam vergonha e nem mal estar.

4.2. Vigilância contra as errôneas interpretações da Bíblia. Nos arraiais evangélicos, prega-se a prosperidade, a vida material abastecida e a conquista do sucesso. Prega-se o sono eterno da alma. Prega-se que a busca pelo prazer é algo inerente ao ser humano. Há uma orquestrada rejeição ao arrebatamento da igreja. Jesus afirmou que “haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo...” (Lc 21.26). Paulo escreveu: “Quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram...” (2Ts 1.10). E em 1Tessalonicenses 4.16-17, o apóstolo trata desta questão com clareza.

4.3. Rejeição a Deus e à Sua Palavra. Há uma intensa propagação da teologia antropocêntrica, onde o homem é deus e deve ser cultuado. Uma teologia em que Deus foi banido de seu conteúdo. A palavra da cruz não é anunciada. Os pecados já não são condenados. O arrependimento não é proclamado. A Bíblia é aceita como um livro, mas não como Palavra de Deus.

5. A vigilância com perseverança é a condição para sermos salvos
O Senhor Jesus afirmou que: “E por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo”” (Mt 24.12,13). Não podemos desanimar e nem desviar a nossa atenção do foco que é o próprio Jesus. Precisamos, sim, manter uma estreita relação com Deus e com a Sua palavra. A persistência nos aproxima de Deus e nos leva a alcançar resultados poderosos em nossa vida.

PARA PENSAR E AGIR
1. O que você entende por oração persistente?
2. Como podemos vigiar com persistência?
3. Por que precisamos vigiar em todo tempo?
4. Quais as implicações da não-vigilância?

LEITURA BÍBLICA DIÁRIA
Segunda-feira: Mt. 24.42-51
Terça-feira: Mt. 25.1-13
Quarta-feira: Mt. 26. 36-41
Quinta-feira: Mc. 13.28-37
Sexta-feira: Cl. 4.2-6
Sábado: 1Ts. 5:4-10
Domingo: Lc. 21.29-36

Autor das Lições do Trimestre:
Pr. Noélio Nascimento Duarte. Teólogo, Fonoaudiólogo, Neurolinguísta, Escritor, Poeta e Cronista. Professor de Comunicação e Motivação do Programa de Pós-Graduação – MBA – da Universidade Católica de Petrópolis e do Instituto de Neolinguística Aplicada do Rio de Janeiro – INAP. Membro Titular e Capelão da Academia Evangélica de Letras do Brasil – AELB. Autor de três dezenas de livros e de duas centenas de artigos publicados. Pastor da Primeira Igreja Batista em Caramujo – Niterói,


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Pr. Luiz Roberto Silvado, Presidente da Convenção Batista Brasileira: "Estamos nos enganando achando que ter coro jovem é ter um trabalho com jovens!".


No período de janeiro de 2013 a fevereiro de 2015, Pr. Luiz Roberto Silvado (foto) presidiu a CBB - Convenção Batista Brasileira. Pastor da Igreja Batista do Bacacheri, em Curitiba, PR, o respeitado líder caracteriza-se por uma vida dependente de Deus, homem de oração e muito focado no discipulado. Sua presidência ficou marcada por um período de grande paz.
Num pequeno intervalo da sessão de segunda-feira, logo após a eleição do novo presidente, Pr. Silvado, gentilmente, nos concedeu uma entrevista.
Leia na íntegra abaixo:

Pr. Silvado, o irmão encerra um período de dois anos na presidência da CBB, missão cumprida?
Se dá pra dizer cumprida, não sei, pelo menos a gente tentou fazer o melhor num tempo exíguo que temos, junto com igreja, essa correria, mas tentamos fazer o melhor para o Senhor.

O irmão sempre foi integrado na denominação, participando em vários setores, conferencista requisitado, mas, agora, como Presidente da CBB. Qual a visão do irmão sobre os batistas brasileiros, tendo essas duas dimensões percebidas?

É uma visão diferente, o trabalho batista é um trabalho pujante, forte, tem gente muito comprometida, gente que ama missões mais do que nunca, eu saio com essa certeza. É o nosso DNA, é uma das características mais fortes que nós temos, ao mesmo tempo eu saio com uma certeza muito grande, nós temos uma carência imensa em Educação Religiosa, de discipulado, nós precisamos retornar pra Bíblia, precisamos retornar ao estudo bíblico, nós, nas próximas gerações, pagaremos um preço absurdo se não fizermos alguma coisa nos próximos cinco anos com relação ao discipulado e ao estudo da palavra.


Mesmo considerando as circunstâncias que impedem jovens de estarem aqui, o irmão levantou uma questão e fez uma advertência séria sobre o trabalho com a juventude. É um sintoma que a denominação precisa estar atenta? 

É um sintoma que tem a ver com as nossas Igrejas, nós estamos nos enganando achando que ter coro jovem é ter um trabalho com jovens. Precisamos discipular nossos jovens, precisamos nos adequar nossa forma de culto, no formato do culto. Nós precisamos trazer jovens para estarem envolvidos na liderança de nossas igrejas. Há cinco anos, nossa Igreja tomou uma decisão estratégica de baixar a faixa etária da liderança maior da Igreja. Por quê? Porque a Igreja tem que refletir essa liderança mais nova também, porque eles não são a Igreja do futuro, eles são a Igreja do presente.

Considerações finais:
A minha mensagem aos batistas brasileiros é prossigam, vocês são um povo muito especial, batista brasileiro é um povo comprometido com a causa, um povo que arregaça as mangas, não tem medo de trabalhar, um povo que ama ao Senhor de uma forma muito especial, entusiasmado com a obra de Deus, eu tenho muito orgulho, muita alegria de fazer parte desse povo. Mas, ao mesmo tempo, volte à Palavra, volte a estudar a Bíblia, ler a Bíblia, a participar de um grupo de estudo bíblico, a fazer discipulado, nós precisamos resgatar isso em nosso meio.

Café com Cristo - Príncipe que negou o pedido do Rei


Um diálogo entre Jesus e um príncipe dos judeus foi muito interessante. Ele se aproxima de Jesus e quer saber que deve fazer para herdar a vida eterna. Jesus avança no diálogo. Percebe-se no príncipe um grande compromisso religioso. Era homem que cumpria os deveres.
Jesus toca na questão central: onde estava realmente seu coração? E sugere-lhe vender tudo, repartir com os pobres e, depois, segui-lo. É nessa hora que se descobre sua verdadeira intenção e o único registro na Bíblia de alguém sair triste da presença de Jesus. É fato que outros saíram tristes de sua presença, mas é a única experiência com tal registro. Descobre-se aqui o típico caso de religiosidade vazia.
O príncipe dos judeus negou ou deixou de atender um pedido do Rei Eterno. Pelas vias hierárquicas humanas isso nunca acontece. Um rei tem poder sobre um príncipe. Mas aqui é diferente. O Rei Eterno respeita os príncipes transitórios. Sua via é a do convite. A decisão é do convidado.
E há uma lição preciosa aqui: não há principado sem a presença do Rei Eterno. Sugerem alguns que aquele jovem perdeu tudo no ano 70 quando houve a destruição de Jerusalém. Ajuntar tesouros aqui é um grande risco. E onde estiver o nosso tesouro, ali estará o nosso coração.
Que resposta você tem dado aos apelos do Rei?

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Quem é o dono do céu?

Igreja Batista do Braga
Quem é o dono do céu? Pregado em  23-02-2014

Horário de verão termina neste domingo

Neste domingo, dia 22 de fevereiro, termina o horário de verão. À meia-noite de sábado, você deve atrasar em uma hora o seu relógio!


Ministro diz que governo manterá modelo de horário de verão

A adoção do horário de verão, que termina no próximo domingo (22), não deve sofrer modificações pelo governo. De acordo com o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (foto), apesar de o horário de maior consumo de energia ocorrer no início da tarde, ainda vale a pena manter a mudança de horário no país.

“O horário de verão continua representando um descasamento na ponta de carga e uma economia de energia. No período, voltamos para as residências ainda com a luz do dia, o que gera uma economia energética para o país. Portanto, é válido o horário de verão”, avaliou.

O principal objetivo do horário de verão é aproveitar melhor a luminosidade natural do dia, reduzindo o consumo de eletricidade no fim da tarde, quando ocorria o chamado pico de consumo. Recentemente, o pico tem sido registrado no início da tarde, principalmente por causa do aumento do uso de aparelhos de ar condicionado.

Este ano, o governo chegou a estudar uma prorrogação da vigência do horário diferenciado, por causa da falta de chuvas, que prejudica os reservatórios das hidrelétricas. “Chegamos à conclusão de que o custo-benefício não valia a pena. Portanto, não fomos adiante na ideia”, explicou Braga.

Segundo o ministro, os relatórios finais sobre a economia de energia no período devem ser concluídos semana que vem. Dados preliminares podem ser divulgados pelo governo amanhã (20). 

No início do horário de verão deste ano, a estimativa do governo era uma economia de R$ 278 milhões, com geração de energia térmica no horário de pico. Na edição anterior, a economia chegou a R$ 405 milhões.

Fonte: 
http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2015-02/ministro-diz-que-horario-de-verao-economiza-energia-e-sera-mantido-pelo

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Lixo em São Gonçalo

O RJTV apresentou matéria recentemente sobre o assunto. O prefeito de São Gonçalo é evangélico, da Igreja Batista. Estamos preparados para o exercício da administração pública?

http://globotv.globo.com/rede-globo/rjtv-1a-edicao/v/moradores-de-sao-goncalo-denunciam-coleta-de-lixo-irregular/2387386/

Café com Cristo - Limpo no meio da sujeira


O senso comum sugere que estar no meio da sujeira é garantia de se sujar também. “Diga-me com quem tu andas e te direi quem tu és” tornou-se tão popular que parece verdade.
Daniel era um jovem judeu que foi levado cativo para a Babilônia. Passou a conviver com toda sorte de podridão, desde aos acordos políticos até aos cultos que eram prestados a deuses pagãos. Decidiu no seu coração não se apodrecer, não se misturar e continuar limpo no meio da sujeira.
Não há qualquer problema em conviver com pessoas no meio da podridão. Desde que não se misture. Assim fazia Daniel. Até que um dia, chegou o tempo em que deveria mostrar aos inimigos sua integridade. Uma cilada armada e, em outras palavras, disseram os seus colegas de trabalho: “Você deve praticar as mesmas coisas que praticamos”. Daniel disse não. Eles disseram: “Assim foi decretado pelo rei, caso não cumpra, será jogado na cova dos leões”.
O jovem Daniel tomou uma decisão séria: “Se para continuar vivo devo me sujar, prefiro ficar limpo e morrer”. Foi jogado na cova dos leões. Deus o livrou. Continuou vivo, limpo, mesmo no meio da sujeira.
Deus o honrou. Deus nos honrará. Não é pecado conviver com pessoas no meio da sujeira. O pecado é se sujar por falta de integridade.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Pregação do Pr Aécio Pinto Duarte na Ordem dos Pastores Batistas do Brasil

Pr. Aécio Pinto Duarte pregou na Assembleia da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil, em Gramado, RS, no dia 05 de fevereiro de 2015.
Ele é pastor da Quarta Igreja Batista de Macaé.

Capa da Revista Vigiai - Jornalista Vital de Souza Neto dá explicações


Jornalista Vital de Souza Neto dá explicações sobre a reportagem de capa da Revista Vigiai distribuída na Assembleia da Convenção Batista Brasileira. Veja o texto na íntegra.

A POLÊMICA NA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL BATISTA EM 2015

Irmãos,
Bom dia.

Já estou em casa, confortavelmente instalado no meu escritório com o belo jardim de inverno e ampla sacada com a visão da Serra da Mantiqueira.
Foram 10 dias de Assembleia da CBB – De 02 a 12.02 – levando-se em conta as viagens de ida e volta.
Excelente Assembleia.

Bem… a revista Vigiai 14a. edição – chamou a atenção dos convencionais e foi publicada para tal, com este objetivo mesmo.
Pena que os convencionais se esqueceram da excelente pauta e se detiveram apenas no chamativo da reportagem de capa com o Pr. Vanderlei Marins.

Pr. Vanderlei Marins foi eleito por imperativo de Deus, é assim que cremos, nada acontece sem o consentimento Dele.
Seria eleito de qualquer forma, sendo ou não capa da revista.

E não foi efetuada nenhuma campanha como insinuaram, indevidamente, mas, Deus recomenda perdoar os pobres coitados – não sabem o que falam, grandes e pequenos…
E nem pagou absolutamente nada, nem pela capa e nem pela matéria, nem ele e nem a Convenção Batista Fluminense, como alguns juraram que eles pagaram, não houve locupletação.
Capa, todos sabem, é assunto exclusivo do editor, é a vitrine da revista e é minuciosamente estudada, recebo dezenas de pedidos de capas, e todos levam um gentil não.

A Vigiai desejava fazer para a Assembleia da CBB em Gramado-RS uma ampla reportagem com os possíveis candidatos à presidência ou chamados “virtuais” candidatos.
Foram efetuados contatos com os pastores Josué Salgado, Eli Fernandes, Carlos Elias, Vanderlei Marins, Paulo Eduardo, entre outros.
A ideia original era de subsidiar aos convencionais dados dos virtuais candidatos para que pudessem avaliar melhor e conhecer em que estavam votando.
Não obtivemos sucesso e só a assessoria do Pr. Vanderlei Marins entrou em contato, mas, o projeto não era viável sem pelo menos quatro pre-candidatos.

Diante disto resolvemos fazer uma ampla matéria – 8 páginas – com a principal Convenção Batista Estadual, a Fluminense.
Aliás, se formos pensar no campo do Estado do Rio de Janeiro – Convenção Fluminense + Convenção Carioca – em termos batistas, ele representou no último ano denominacional mais de 26% do Plano Cooperativo entregue à CBB.
Nada mais natural que destacar o Presidente da Convenção Fluminense (Presidente por 12 vezes) como capa da edição.

Se formos agir com maldade, sem respeitar que tem a mão de Deus em todo o processo, diríamos que a eleição do Pr. Silvado em Aracaju em 2013 foi montada a partir de um grande curral eleitoral, já que ele ao discursar por 3 dias consecutivos como o orador das manhãs devocionais, teve o privilégio de se tornar mais conhecido e com o nome sedimentado no meio, no curtíssimo prazo, horas antes do pleito. Seria como alguém usar 100% do horário nobre na TV, nas rádios, na internet e muito etc e depois se candidatar…
Ora, ser Presidente é ser um grande servo de Deus e da denominação e ninguém se utilizaria disto para ser candidato, mas, onde impera a maldade, fica muito fácil conclusões indevidas.
Se Deus usou a Comissão de escolha do preletor para aquela ocasião, pode também ter usado a Vigiai para colocar o Pr. Vanderlei na capa, bem como pode ter obrigado o Pr. Eli Fernandes não estar na hora certa do pleito, sendo impugnado.
Deus é Deus.

A eleição do Pr. Vanderlei, um líder honrado e digno de ser Presidente de qualquer instituição desse país e certamente não dirá besteiras como para “não votar no PT”, o PT pode ter dirigentes inescrupulosos, mas, ali existem milhares de pessoas dignas e além disso é como diz a Constituição um dos pilares do Estado de Direito da Nação, como partido político.

Lembramos ainda que o último Presidente da CBB e de representação pelo Estado do Rio de Janeiro foi o Pr. Fausto A. de Vasconcellos em 2006, depois veio a reforma do estatuto e não tivemos mais presidentes do maior colégio eleitoral dos batistas – Rio de Janeiro, que representa 30% dos batistas brasileiros.

Temos agora um Presidente da Casa e que vive os problemas da CBB no dia a dia e não por ouvir falar…

E a Vigiai cumpriu o seu papel de informar, garantido pela maior lei deste país, a Constituição Federal.

Em Cristo, Vital.

Observação: O lote promocional da revista foi distribuído em Gramado-RS. Os que quiserem a revista deverão optar pela assinatura anual, conforme informações da capa do site através de pagamento pelo Pag-Seguro. O atendimento de exemplares individuais é impraticável, pois o valor da revista é de R$10,00, considerando o porte dos Correios de R$3,00, o estacionamento de R$5,00, o boleto de R$2,50, o envelope, a gasolina, etc e etc, não é possível atender pedidos de exemplares só da Vigiai-14.

Fonte: VIGIAI.NET

Deus multiplica


Uma multidão ouve atenta os ensinos do mestre. O dia passa e a noite se aproxima. Preocupados, os discípulos sugerem despedir o povo, pois estavam com fome. Ouvem de Jesus uma ordem muito difícil: “Daí-lhes vós de comer!”.
Mas como? Sendo uma multidão, longe da cidade e sem dinheiro, como alimentar aquele povo? É sabido que um rapazinho, prevenido que era, tem um lanchinho. Mas, apenas cinco pães e dois peixinhos, que são cedidos ao Mestre.
Quem deu a ordem sabia a solução. Orienta-os a mandar o povo sentar. Ora. Manda distribuir os pães. Acontece o milagre. Todos se alimentam e ainda sobra. Ele manda recolher as sobras.
Lições: Deus multiplica o pouco que dedicamos a ele. Ninguém precisa passar necessidades de pão ao nosso lado. Ninguém é tão pobre que não possa oferecer (aquele menino nunca imaginava que seria canal para abençoar tanta gente). Não desperdice o que Deus multiplica, guarda, amanhã pode fazer falta.
Eu era um menino, não era em Barbacena, em Cardoso Moreira. Muitas dificuldades. Deus multiplicou várias vezes o pão. Amanhã, permitindo Deus, contarei uma experiência de multiplicação. Até lá!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Café com Cristo - Mais de Deus, menos de si


Isaías era um profeta palaciano. O capítulo 6 de seu livro relata um momento triste por causa da vacância no reinado de Israel, o rei Uzias morrera. O cenário era de tristeza e insegurança. É nesse cenário que o profeta tem uma visão extraordinária: vê o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono. Era uma mensagem pedagógica: o trono de Israel vagou, mas o trono celestial, não, estou no controle.
De todas as cenas que envolvem a narrativa - pode ser lida dos versos 1 a 8, a que mais me chama a atenção está no verso 5: “Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos”.
Comparando sua experiência no capítulo 6 com a do capítulo 5 há grande diferença: no cinco, Isaías lança os ais sobre os outros - vale a pena ler. No 6, o ai é sobre si mesmo.
A causa da mudança: ver Deus. Quem vê Deus, consegue enxergar mais sobre si. E a única conclusão é: “Ai de mim!”.
Santidade, ao contrário do que diz o senso comum, é ver mais a própria pobreza e menos a pobreza dos outros. Quanto mais santidade, mais consciência de pecador. Quanto mais de Deus, menos de si.

Menina que foi matéria no Fantástico é fruto de projeto dos Batistas Brasileiros

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Novo Presidente dos Batistas Brasileiros em entrevista exclusiva



O Folha Evangélica foi o primeiro veículo a ouvir, logo após ser eleito, o novo presidente da Convenção Batista Brasileira. Numa entrevista gravada, já distribuída para as redes sociais, o Pr. Vanderlei Batista Marins realiza o sonho de galgar o mais alto degrau da estrutura dos batistas brasileiros.
Pastor integrado na denominação, atualmente preside a Convenção Batista Fluminense, pela 12ª vez, é o pastor titular da Primeira Igreja Batista do Alcântara e reconhecido como um dos mais preparados em conhecimento de documentos dos batistas.
Na entrevista, novo presidente sinaliza: "Precisamos investir como causa batista em todo o território nacional e não apenas em alguns centros!".

Como o irmão experimenta este momento?
Com gratidão a Deus e também aos irmãos batistas brasileiros, especialmente aos fluminenses. Reconheço a bondade de Deus para comigo e estou disposto a servir e investir para o progresso da causa batista brasileira.

O irmão vem numa sequência de programas da Convenção em que se privilegia a inspiração, a evangelização, e dois anos agora o irmão será o timoneiro dessa embarcação. Como o irmão planeja esse momento?
Entendo que o aprimoramento em todo processo administrativo precisa de continuidade. Também o investimento na plantação de Igreja, no fortalecimento das Convenções Estaduais, no desenvolvimento da obra batista, não apenas em determinados centros, mas no Brasil como um todo. Espero me reunir com o restante da diretoria que será eleita para discutirmos e apresentar as ideias e construir o planejamento que norteará as ações nesses próximos anos.

Pr. Vanderlei, agora é a Aliança Batista Mundial?
(Risos...) Na verdade, o desejo do meu coração sempre foi contribuir com a Convenção Batista Fluminense e, agora, com a Convenção Batista Brasileira. Servindo aqui, estou muito feliz!

Mensagem aos batistas brasileiros:
Vou primar pela unidade dos batistas brasileiros, trabalhar as nossas diferenças, precisamos investir na unidade, porque a causa batista é expressiva e faz parte do coração de Deus e do nosso amor. Portanto quero conclamar a todos os batistas brasileiros que creiamos no poder de Deus, nos unamos neste grande ideal, de ver a nossa denominação estável e unida e avançando para conquistar as terras que ainda precisam ser possuídas e que Deus nos abençoe para tanto.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Convenção Batista Brasileira elege novo presidente

Com 55 % dos votos válidos, Pr. Dr. Vanderlei Batista Marins (foto) foi eleito Presidente da Convenção Batista Brasileira. A eleição ocorreu hoje de manhã na cidade de Gramado, RS.

Ainda hoje, entrevista exclusiva com o novo presidente.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Pr. Ciro Freitas assume ministério em Campos

O jovem e competente pr. Ciro Freitas assume o Ministério de Juventude na Primeira Igreja Batista de Guarus. Atuará no colegiado ministerial da Igreja.
Aqui, entrevista exclusiva com ele.

Hoje é dia de sua posse como pastor da juventude. Como está o seu coração?

Estou com o coração acelerado, em virtude das muitas expectativas que tenho. Hoje pela manhã já tivemos a primeira reunião com a equipe de líderes da juventude, e traçamos algumas metas para alcançar a curto, médio e longo prazo. Meu coração transborda gratidão ao Senhor neste dia especial.

O que muda trocar Búzios por Campos?

Esta pergunta é boa! (risos). Sou campista, e a diferença de clima não me assusta. A única dificuldade é lidar com a saudade de tanta gente querida. Mas Búzios permanecerá na minha rotina pois inaugurei um escritório de advocacia na cidade, em parceria com 3 amigos, antes de mudar e a família da minha esposa ainda reside lá.

Como percebe a realidade da juventude nos tempos atuais?

Vejo que o maior problema hoje é que falta sonhos entre nossos jovens. Muitos estão desistindo de viver, e outros tendo a vida interrompida porque não sabem sonhar. Creio que Deus tem sonhos lindos pra dividir com essa turma, e meu desejo é ser um semeador de sonhos.

Qual será seu foco como Ministro de Jovens?

A princípio colocaremos em prática o Projeto Centésima Ovelha, que visa identificar os jovens/adolescentes afastados da Igreja, e visita-los. Creio que será um tempo de despertamento. Mas nosso foco principal é a multiplicação. Não somente no que diz respeito ao número, mas principalmente no que atinge o próximo e nos torna semelhantes a Jesus.

Considerações finais:

Só tenho razões para agradecer! Louvo a Deus pela vida da SIB Búzios e seu pastor Sebastião Augusto da Silva, que cuidou de mim no tempo em que lá estive, e agradeço a minha família pelo constante apoio e orações.
Em todo tempo Deus é bom!

Pr. Ciro e sua esposa Gisele