sexta-feira, 31 de março de 2017

Reforma da Previdência - Documento das Igrejas Evangélicas Históricas


Um documento preparado pelas principais Igrejas Evangélicas Históricas do Brasil foi distribuído, mostrando preocupação com a Reforma da Previdência.

A Igreja Presbiteriana do Brasil, que está entre as mais antigas, se não a mais antiga, não assina o documento. Segundo uma fonte, apesar de concordar com o texto, não enviou a tempo a assinatura para publicação. Lamentável.

O texto bíblico de Provérbios 29.4, que encabeça o documento, é bem objetivo e mostra a clareza que os evangélicos históricos querem no trato do assunto que tem preocupado todos os brasileiros.

Provérbios 29.4: "O rei justo sustém a terra, mas o amigo de impostos a transtorna".

Outra versão registra assim: "O rei com juízo sustém a terra, mas o amigo de peitas a transtorna".

Leia abaixo na íntegra o documento.
Clique na foto para ampliar.


Solidariedade


            Normalmente se pensa em solidariedade quando se verifica uma grande tragédia e muita gente sofre com desconfortos, sofrimentos e, em vários casos, com mortes. Passado o tempo da exploração da grande mídia, tudo volta ao normal e os que continuam sofrendo são esquecidos.
            Isso sem falar naqueles que, permanentemente, estão esquecidos e nenhuma voz se apresenta para dar o grito por eles, nenhum braço é estendido para apoio e socorro, nenhum pé se apressa para livrá-los, nenhum ouvido é atento para ouvir seus clamores e nenhum peito é oferecido para aquecer o frio.
            No dia a dia, via de regra, a solidariedade está distante. A frieza assumiu o trono da existência humana e a dor do outro não faz mais sentido.
            Augusto Cury declarou: “Entendo que solidariedade é enxergar no próximo as lágrimas nunca choradas e as angústias nunca verbalizadas”.
            Provérbios 31.8-9 apela: “Abre a tua boca a favor do mudo, pela causa de todos que são designados à destruição. Abre a tua boca; julga retamente; e faze justiça aos pobres e aos necessitados”.
            De Gabriel Chalita, temos: “Está se sentindo vazio? Preencha esse espaço com solidariedade. Saia desse buraco. Há muita gente precisando de você”.
            Ao solitário, seja solidário!

****************************************

* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Batistas do Brasil atentos à Reforma da Previdência

 Em nota assinada pelo Presidente, Pr. Dr. Vanderlei Batista Marins, e o Diretor Executivo, Pr. Dr. Sócrates Oliveira, a Convenção Batista Brasileira apresentou suas preocupações com a proposta de Reforma da Previdência encaminhada pelo presidente Dr, Michel Temer.

Atendendo ao blog, o presidente destacou parte da nota em que anuncia a nomeação de alguns líderes com trânsito em Brasília para acompanhar todas as propostas que apresentam perda de direitos do povo brasileiro, sobretudo o povo menos favorecido.
Pr. Dr. Vanderlei Batista Marins
Presidente da CBB

Leia a nota na íntegra:

Clique na imagem para ampliar!

Pr. Dr. Sócrates Oliveira
Diretor Executivo da CBB


Pedido curioso


            Provérbios 30.7-9 apresenta interessantes pedidos: “Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra: Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume; Para que, porventura, estando farto não te negue, e venha a dizer: Quem é o Senhor? ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e tome o nome de Deus em vão”.
            Pedir para afastar a vaidade e a palavra mentirosa está claro. Agora, curioso é pedir para não experimentar nem a pobreza nem a riqueza. O fundamento é que a riqueza provocaria a negação de dependência de Deus e a pobreza o levaria a furtar.
            Aqui está o “X” da questão! Ops, “X” da questão! Lembra algo parecido, mas contrário à preocupação do escritor, pois neste caso quanto mais riqueza, mais se locupletava.
            O milenar adágio lembra que “a roupa não faz o monge”. Em outra aplicação, “o momento não faz o ladrão”. Há pobres que nunca roubaram uma agulha e há ricos que roubaram uma fábrica de agulhas, mesmo depois de ricos. Agora, se o momento não faz o ladrão, com certeza, o revela. Então, não é mudar o que está ao redor e, sim, o interior. Fará sentido pedir para afastar a vaidade e a palavra mentirosa, pois elas nascem no coração.

****************************************

* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Insensibilidade


            “A insensibilidade é: dormência de caráter e a hipnose da existência” - Joni Baltar.
            “A insensibilidade cega os corações dos homens fazendo-os caminhar para o abismo sem que eles o percebam” - Paulo Cuba.
            A medicina reconhece uma síndrome rara: a insensibilidade total à dor. Um número pequeno em todo o mundo sofre desse problema que, à primeira vista é bom, mas se torna um grande mal, visto que se pode provocar agressão no corpo em função da ausência da dor         .
            Nas relações humanas, também pode ocorrer esse mal.
É insensível um gestor público, o conhecido político, que desvia ou permite desviar recursos aos milhões e deixa crianças, idosos e enfermos sem remédio num hospital ou encolhe a mão com cestas básicas, distribuindo com abundância no ano que vem por causa das eleições.
            É insensível um pai que vê o filho em crise e exige dele mais produtividade quando o que ele desejava era um abraço, um sorriso, um aperto, uma rolada no chão.
            É insensível um cristão que vira o rosto para o pedinte que apenas quer um pedaço de pão ou uma roupa usada para diminuir seu frio.
            Provérbios 29.7 registra: “O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento”.

            Livre-se do mal chamado insensibilidade.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

terça-feira, 28 de março de 2017

Justos e ímpios


Os eventos políticos no Brasil nos últimos três anos tem revelado situações em que, mesmo conhecidas superficialmente, tornaram-se enojadas. Em nome do bem público e em favor da população, homens e mulheres se locupletaram e as mais sórdidas artimanhas estão às escâncaras de todos. Logicamente que não se deve ser ingênuo para acreditar que tudo está às mostras, é apenas a ponta do iceberg. Dizia minha avó: há muito caroço debaixo desse angu.
Sem dúvida que ver figuras políticas e empresários poderosos algemados despertam uma esperança que o quadro pode mudar e é possível que a nova geração comece a desenhar um quadro de mais justiça social e mais combate à corrupção.
Provérbios 28.20 é muito atual: “O homem fiel será coberto de bênçãos, mas o que se apressa a enriquecer não ficará impune”.
Uma motivação está em Provérbios 28.28: “Quando os ímpios se elevam, os homens andam se escondendo, mas quando perecem, os justos se multiplicam”.

Um sentimento negativo que surge desanimador é que não vale a pena ser justo, quando muitos, desonestamente, vivem nababescamente. Dormir o sono dos justos não é experiência para quem se enriquece provocando sofrimento alheio. Por isso, vale a pena, sim. Fuja da impiedade, seja justo.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Fidelidade


            Provérbios 27.8: “Qual a ave que vagueia longe do seu ninho, tal é o homem que anda vagueando longe da sua morada”.
            Na Bíblia de Jerusalém, é assim: “Como ave vagando longe do ninho, assim é o homem vagando longe do lar”.
            Quando escrito o provérbio, as distâncias eram, teoricamente, bem maiores em função dos transportes disponíveis. Passados 3000 anos, embora as distâncias sejam as mesmas, foram encurtadas pelos recursos que se tem.
            Infidelidade no relacionamento com o cônjuge, do esposo para a esposa, ou vice-versa, acontece até mesmo sem sair de casa, pois as redes sociais abriram uma estrada extensa e larga, cujo transitar é muito fácil. De casa, pode-se estar em todos os lugares do mundo e o morador ou moradora ao lado está na mesma distância que outros do outro lado do planeta.
            Fato é que muitos são marcados negativamente por essa prática e lares destruídos, carreiras promissoras abortadas e, pasmem, ministérios acabados com marcas indeléveis que nunca serão apagadas.
            Para Millôr Fernandes, “O preço da fidelidade é a eterna vigilância”. Jesus advertiu: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação”.
            De Nietzsche, temos: “Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos”. Jesus ensinou: “Assim como quereis que os outros vos façam, fazei-lho vós também a eles”.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

domingo, 26 de março de 2017

Resposta sábia


            Um jovem pergunta ao velho sábio: “Qual o segredo de uma vida bem sucedida e vivida com sabedoria?”.
            Ouve a resposta: “Nunca, nunca mesmo, discuta com um insensato!”.
            O jovem ríspida e veementemente rebate: “Não concordo, não é assim, eu não concordo!”.
            O sábio arremata: “Você tem razão! Você tem razão!”.
            Contraditoriamente, Provérbios 26.4-5 apresenta: “Não respondas ao tolo segundo a sua estultícia; para que também não te faças semelhante a ele. Responde ao tolo segundo a sua estultícia, para que não seja sábio aos seus próprios olhos”.
            Curioso: não responder ao tolo segundo a sua estultícia e responder ao tolo segundo a sua estultícia. Estultícia é tolice, falta de bom senso. Há sabedoria aqui: não responder para não se igualar ao estulto, responder para que ele não seja sábio aos próprios olhos.
            Não se pode negar que não responder ao tolo segundo a sua tolice para não se tornar semelhante a ele é mais cristão do que responder ao tolo segundo a sua tolice para que ele não seja sábio. A sabedoria está em fazer com o semelhante o que se deseja para si.
            Um ditado antigo decreta: “Um burro carregado de livros não é doutor!”. Aplicando: um insensato, um tolo cheio de títulos acadêmicos não é, necessariamente, um sábio.

****************************************

* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

sábado, 25 de março de 2017

Boas novas


            Parece haver uma conspiração contra todos ao perceber que as notícias ruins ganham destaques em todas as mídias. Telejornais que historicamente apresentavam um padrão mais equilibrado, ultimamente tem se rendido aos desejos de audiência e a edição vem banhada com sangue. O que era comum em apenas alguns jornais, agora tornou-se pauta obrigatória em todas as mídias e, em tempo real, há um bombardeio de fatos ruins.
            Num efeito cascata, faz com que todos sejam reprodutores do mesmo mal e, sem refletir, tende-se a divulgar o que não promove o bem.
            Esse quadro pode ser mudado desde que haja interesse e disciplina para tal. Como Provérbios 25.25, pode-se assumir o seguinte lema: “Como água fresca para a alma cansada, tais são as boas novas vindas da terra distante”.
            É anunciador de boas novas quem apresenta uma mensagem de esperança a quem não vê saída para o problema, a quem não experimenta coragem diante das ameaças da vida, a quem se prostra desolado por causa de uma enfermidade, a quem se entrega porque as forças se esvaíram, a quem não é capaz de enfrentar o caminho da volta por seu orgulho.

            Ao se levantar pela manhã, pode-se decidir: ser um anunciador das boas novas ou um depósito de notícias ruins. A escolha é individual.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Omissão

      “Se uma coisa não é impossível, deve haver uma forma de fazê-la” - Nicholas Winton.
            Nicholas Winton foi um britânico que resgatou 669 crianças, em sua maioria judias na antiga Checoslováquia. Elas seriam deportadas para campos de concentração nazistas e foram salvas da morte praticamente certa em 1939. Por seus feitos, foi muitas vezes chamado de "Schindler britânico".
            Durante nove meses, por trem, levou-as de Praga para Londres. Estima-se que existam mais de 5.000 crianças, descendentes das crianças que ele salvou, são as "crianças de Winton".
            Ele nunca revelou seu trabalho para ninguém por mais de 50 anos, só vindo a público quando sua esposa, Grete, descobriu no sótão de sua casa uma pasta que continha a lista das crianças salvas e, também, cartas para os pais delas. Morreu aos 106 anos em 1º de julho de 2015 e, segundo seu enteado, Stephen Watson, partiu tranquilamente, enquanto dormia.
            Provérbios 24.11 desafia-nos: “Livra os que são levados à morte, salva os que são arrastados ao suplício”.
            E o verso 12 adverte-nos: “Pois, se disseres: Eis que nada soubemos, aquele que pesa os corações não entenderá? Enquanto ele sabe, ele que te observa; ele devolverá ao homem conforme a sua obra”.

            Omissão do bem é tão ruim quanto a ação do mal.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Primeira Igreja Batista do Arraial do Cabo tem novo Pastor


Pr. Carlos Henrique Soares será o 21º pastor na Igreja que completa este ano 94 anos de existência.
A posse está marcada para o dia 29 de abril.


Em primeira mão, ouvimos o novo pastor da Igreja que, carinhosamente, respondeu a duas perguntas:

Quais as expectativas ao assumir uma igreja histórica e quase centenária na Região dos Lagos?
Temor e tremor é o primeiro sentimento que vem ao coração. No entanto, independente do tempo que uma igreja tenha de organizada, sei que ali está a marca principal que me prende, ou seja, a marca da cruz que revela o preço do sacrifício de Jesus e por isso minhas expectativas se resumem em cumprir o ministério. Como missionário que sou, sempre me vi em busca das vontade de Deus e sendo assim minha vontade está e estará, submissa a Deus que me chamou e vocacionou para uma obra específica e excelente que é o ministério pastoral. Ao assumir a PIBAC já tenho buscado ouvidos e coração abertos para cumprir os projetos que Deus tem neste tempo deixando que Ele continue escrevendo a história onde a missão e visão da Igreja estejam ajustadas entre nós os servos e o Senhor da Igreja.

Que podem esperar os membros da PIBAC e sociedade cabistas com o Pastor?
Estou chegando trazendo na minha vida as digitais de centenas de pessoas que me amaram muito. Minha esposa e filhos foram amados e por isso entendo que quem é amado, se entrega com facilidade e se doa, acredito no caminho de mão dupla nas relações. Acredito que a PIBAC espera um homem que traga em sua vida o compromisso com Deus e sua Obra, mas sem ser perfeito e em busca do aperfeiçoamento. Sou uma pessoa que como Pastor e psicólogo sempre caminho na direção de pessoas e amo o que faço. Após 23 anos em uma igreja, deixo-a em meio às lágrimas por entender que estou submisso ao meu Senhor e Mestre e sendo assim, creio colher frutos das bençãos da misericórdia de Deus e seremos felizes. Na cidade, minha visão é que a Igreja, precisa continuar marchando para marcar a história na comunidade através do ato de servir nas múltiplas ações que alcance pessoas em sua totalidade, sem envolvimentos que nos comprometa politicamente. Minha oração é que eu caia na graça do povo e seja um instrumento de Deus, quer como cidadão, pastor ou psicólogo.

Espere o futuro


            Adolescente, num tempo de vacas magras em que nossa família enfrentou grandes dificuldades, era comum um sentimento que impunha desejar o que outros meninos ostentavam: roupas bonitas, tênis de marcas, abundância de lanches na escola e sempre na lista dos que passeavam. Em alguns momentos, sinceramente, uma crise se instalava, sobretudo ao saber que nos finais de semanas estavam em festas regadas a bebidas e farras, enquanto estávamos no templo.
            A indagação era inevitável: vale a pena servir ao Senhor?
            O tempo passa, o tempo voa e, hoje, com o quadro completo, percebe-se que vários deles não estão numa boa, alguns, inclusive, levados desta vida ainda bem jovens.
            Naquele tempo, não dispúnhamos de todas as informações e não sabíamos que muitos deles tinham sua história construída pelos pais que não se intimidavam em ferir os princípios da boa ética.
            Mais tarde, conheci Provérbios 23.17-18: “O teu coração não inveje os pecadores; antes permanece no temor do Senhor todo dia, porque certamente acabará bem; não será malograda a tua esperança”. Na Bíblia de Jerusalém, é assim: “Que o teu coração não inveje os pecadores, mas o dia todo tenha temor a Iahweh, pois é certo que haverá futuro, e tua esperança não vai ser aniquilada”.

****************************************

* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Marcos antigos

Um jovem trabalhava no comércio num tempo em que se pesavam os produtos, embalavam-no em sacos plásticos e colavam com uma rudimentar máquina elétrica com resistência. O patrão orientou: “Ao embalar os pacotes coloque, em média, 100 a 200 gramas a menos”. O jovem quis saber a razão e ouviu que diminuiria perdas nos transportes dos sacos. O jovem não aceitou, argumentando ser cristão. Foi ameaçado no emprego. Não cedeu. Foi despedido.

Provérbios 22.28 registra: “Não removas os limites antigos que teus pais fixaram”. Provérbios 23.10 amplia: “Não removas os limites antigos; nem entres nos campos dos órfãos”.

Uma ideia do provérbio amplamente divulgada dizia que não podemos nos esquecer dos princípios recebidos pelos antepassados. Embora não seja errado, é mais específico: fala de honestidade. Trata da marcação das terras, recebendo marcos delimitadores. Mudavam-se os marcos e se apropriavam de terras alheias.

Cuidado: toda grande desonestidade começa com pequena desonestidade.

Sobre o jovem, passaram-se alguns anos, o patrão adoeceu e não podia cuidar dos negócios. Os filhos longe e em outras atividades, não confiava em ninguém que lhe obedeceu. Foi buscar o jovem, agora homem formado,  e pagou-lhe salário bem maior.

Seja honesto e não aceite desonestidade, por menor que seja.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

terça-feira, 21 de março de 2017

Culto dentro e fora do templo



Templos lotados e dezenas, centenas e até milhares de fiéis celebram com alegria o nome do Senhor nos domingos. Mãos erguidas, olhos fechados, sorrisos e lágrimas, palmas, entrega de ofertas e declarações de fé estão presentes nos encontros festivos da Igreja.
Vem a segunda-feira e, nas escolas, nas empresas, nas indústrias, nas casas legislativas, nos palácios, nos canteiros de obras, nos ônibus, metrôs e trens, o que se vê e se convive estabelecem uma distância muito grande entre a teoria e a prática, entre o que se canta e declara no templo e o que se demonstra na vida. Empregadores que lesam os empregados em direitos, empregados que não cumprem suas obrigações, políticos que participam de falcatruas, empresários que se utilizam de caixa dois, homens que aceitam “gatos” na economia doméstica, esposos que traem a esposa, sacerdotes que se vendem e apresentam como essência a bênção do Senhor no lugar do Senhor da bênção.
Na década de 80 um refrão de uma música advertia: “Não adianta ir a igreja rezar e fazer tudo errado, você quer a frente das coisas, olhando de lado”.
Provérbios 21.3 diz: “Fazer justiça e juízo é mais aceitável ao Senhor do que sacrifício”. Na Bíblia de Jerusalém, é assim: “Praticar a justiça e o direito vale mais para Iahweh que os sacrifícios”.
Sacrifício é culto. Então, fica assim: “Praticar a justiça e o direito vale mais para Deus que os cultos”.
           Culto mesmo é dentro e fora do templo.

****************************************
* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Atitudes corretas diante de bênçãos recebidas


(Sermão pregado na Igreja Batista de Sião, SP Aldeia, 39 anos de ministério e 61 de vida do Pr. Washington Roberto do Nascimento, 19 de março de 2017).

Deuteronômio 8
1 Todos os mandamentos que hoje vos ordeno guardareis para os cumprir; para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR jurou a vossos pais.
2 E te lembrarás de todo o caminho, pelo qual o SENHOR teu Deus te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não.
3 E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem.
4 Nunca se envelheceu a tua roupa sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos.
5  Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o SENHOR teu Deus.
6 E guarda os mandamentos do SENHOR teu Deus, para andares nos seus caminhos e para o temeres.
7 Porque o SENHOR teu Deus te põe numa boa terra, terra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas;
8 Terra de trigo e cevada, e de vides e figueiras, e romeiras; terra de oliveiras, de azeite e mel.
9 Terra em que comerás o pão sem escassez, e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre.

Introdução:

         Lembrança de como Deus guardou o protegeu o povo durantes os 40 anos.

Transição: A importância da palavra “Pois”.
É uma conjunção coordenativa. Aqui no caso é conclusiva. Exprime uma conclusão da ideia contida na outra oração.
Tudo que vem até o verso 9 tem seu destaque nesta conjunção: Pois”.

Verso 10: “Quando, pois, tiveres comido, e fores farto,...”.

Vamos às atitudes:

1ª - Louvar ao Senhor
Verso 10: “Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao SENHOR teu Deus pela boa terra que te deu”.

Louvar é falar bem de Deus. Aqui assume o sentido de adorar. Atribuir ao Senhor o segredo da vitória.
Assume também o sentido de gratidão.

2ª - Não se esquecer do Senhor Deus
Verso 11: “Guarda-te que não te esqueças do SENHOR teu Deus, deixando de guardar os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus estatutos que hoje te ordeno”;

3ª - Não elevar o coração
Versos 12 a 18:
12 Para não suceder que, havendo tu comido e fores farto, e havendo edificado boas casas, e habitando-as,
13 E se tiverem aumentado os teus gados e os teus rebanhos, e se acrescentar a prata e o ouro, e se multiplicar tudo quanto tens,
14 Se eleve o teu coração e te esqueças do SENHOR teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão;
15 Que te guiou por aquele grande e terrível deserto de serpentes ardentes, e de escorpiões, e de terra seca, em que não havia água; e tirou água para ti da rocha pederneira;
16 Que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheceram; para te humilhar, e para te provar, para no fim te fazer bem;
17 E digas no teu coração: A minha força, e a fortaleza da minha mão, me adquiriu este poder.
18 Antes te lembrarás do SENHOR teu Deus, que ele é o que te dá força para adquirires riqueza; para confirmar a sua aliança, que jurou a teus pais, como se vê neste dia.

Conclusão:

A importância da palavra “Porém” - v. 19.

É uma conjunção coordenativa adversativa.
Tudo que vem até o verso 18 tem seu destaque nesta conjunção: Porém”.

19 Será, porém, que, se de qualquer modo te esqueceres do SENHOR teu Deus, e se ouvires outros deuses, e os servires, e te inclinares perante eles, hoje eu testifico contra vós que certamente perecereis.
20 Como as nações que o SENHOR destruiu diante de vós, assim vós perecereis, porquanto não queríeis obedecer à voz do SENHOR vosso Deus.

Algumas afirmações:

1ª - Toda bênção vem do Senhor
Tiago 1.17-18: “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas”.

2ª - A bênção recebida é uma oportunidade de louvar ao Senhor
Salmo 136.1-4: “Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre. Louvai ao Deus dos deuses; porque a sua benignidade dura para sempre. Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade dura para sempre. Aquele que só faz maravilhas; porque a sua benignidade dura para sempre”.

3ª - Esquecer do Senhor após uma bênção recebida é uma atitude insensata
  
Duas perguntas:

1ª - Que bênçãos você precisa/deve agradecer ao Senhor hoje?

2ª - Como você deve agradecer?
·        Tomando o cálice da salvação

·       Dedicando ao Senhor sua vida no serviço ao próximo. Deus não precisa de nosso serviço, por isso, Ele é servido quando o próximo é servido.

Pão da fraude

O menino pobre com fome rouba o lanche da mochila do coleguinha na escola e come escondido no banheiro. Sua necessidade temporária foi satisfeita, ficou feliz.

Chega a hora do recreio e o dono do pão percebe que foi tirado da mochila. Chora, reclama e uma verdadeira cruzada para descobrir é organizada. Mas não descobrem. Providenciam outro lanche para o menino e a vida segue normalmente.

Normalmente, não. Toda vez que entrava no banheiro, o menino que roubara o lanche sente um friozinho na barriga e aquilo não lhe faz bem. Em sala de aula, toda vez que ouvia a voz do seu amiguinho sentia arrepio. Ao ser chamado pela professora, ficava nervoso e relacionava ao ato que praticara.

Não suportando mais, chama a professora, confessa, é repreendido com amor, confrontado em seu erro, restabelece a comunhão com o coleguinha e volta a viver em paz.

Provérbios 20.17 é atual e oportuno: “Suave é ao homem o pão da mentira, mas depois a sua boca se encherá de cascalho”. Na Bíblia de Jerusalém ganha sentido mais direto: “Parece doce o pão da fraude, mas depois a boca fica cheia de areia”.

É melhor a fome com a verdade, a escassez com a dignidade, a falta com a justiça do que barriga cheia e a fartura com o produto da mentira.

****************************************

* Série de meditações no livro de Provérbios. Cada dia do mês, o capítulo com o número do dia é destacado. A sugestão é que você leia o capítulo inteiro.