segunda-feira, 31 de julho de 2017

Milagres


Durante este mês, o Café foi sobre milagres. Foram destacados alguns que fazem parte dos registros bíblicos e outros das experiências vividas.
            Da série, sinalizamos alguns ensinamentos:

1.    Deus continua realizando milagres. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente.

2.    Deus não tem filhos preferidos e preteridos, atendendo a uns e não a outros.

3. Embora a fé seja elemento importante, Deus não atende por causa da fé demonstrada por alguém. Ele o faz por causa de sua bondade, seu amor e sua misericórdia.

4.    Nenhuma pessoa tem procuração especial de Deus para realizar maravilhas, todos podem ir ao socorro divino, suplicando-Lhe o milagre. As orações intercessórias fazem parte de nossa comunhão no corpo.

5.    Não há causa impossível para Deus, somente Ele dá a palavra final, mesmo quando todas as possibilidades humanas fogem.

6.    A maturidade do cristão reside em buscar a vontade soberana de Deus nas causas impossíveis, Ele sabe o que é melhor!

7. Ordenar a Deus e exigir d’Ele realizações revelam como desejamos passar da condição de criatura para Criador, de filho para Pai, de humano para Divino.

8.    Ter a cura da alma é mais importante do que a cura física. Todo milagre físico tem prazo de validade, um dia vamos partir.

Creia em milagres! Creia que Deus realiza milagres. Mas, sobretudo, estabeleça relacionamento com Ele, pois amá-lo por quem Ele é revela maior maturidade do que pelo que Ele faz!

domingo, 30 de julho de 2017

Águas tranquilas

O sulista Pr. Ivo Seitz e sua esposa Gladz Seitz publicaram o seguinte texto:

O Senhor Cristóvão era um pai de família que enfrentava muitas dificuldades. Hanseniano e diabético, sofria ainda de obesidade mórbida. Um vizinho nos falou dele como sendo um homem alegre, crente em Cristo. Quando seu quadro se agravou, foi levado em um carro do Corpo de Bombeiros para o Hospital de Base de Porto Velho, RO. Ali trabalhava nossa querida enfermeira Wally Hirschmann (mana e cunhada).

Na mesma época, deu entrada no hospital uma funcionária pública, em estado gravíssimo. Arrogante, tratava a todos com rispidez e expulsava quem tentasse lhe levar consolo.

Wally fez amizade com o irmão Cristóvão e conversava com ele frequentemente, admirando sua coragem e bom humor. Como podia estar tranquilo, vivendo situação tão grave?

Tanto a funcionária quanto o irmão Cristóvão faleceram. Ele partiu tranquilamente, sorrindo. Ela, aos gritos desesperados de: "Eu não quero morrer!".

Wally veio à nossa casa e disse estar impressionada com a diferença nas atitudes dos dois doentes.

Davi, o rei poeta de Israel, diz que o Senhor, nosso pastor, "nos conduz a águas tranquilas" (Salmo 23.2).

Cristóvão vivia situações difíceis, turbulentas, mas o Espírito Santo consolador o levou a águas tranquilas.

O Bom Pastor conhece os perigos que enfrentamos e nos conduz ao descanso, à tranquilidade.

Que bênção é confiar em Deus!

sábado, 29 de julho de 2017

Ele dá paz


       Em casa, impossível viver. Dominado pelos demônios, anda nu de dia e de noite, dos montes e sepulcros, ecoava sua voz, sempre apavorante.
    Seu corpo marcado pelos cortes com pedras, nada o detinha, nem cadeias, nem grilhões, deles fazia migalhas. Indomável, indomesticável. Parece selvagem animal irracional.
     De longe, vê Jesus, corre em sua direção e o adora. Adoração rejeitada, não brota de um coração sincero nem de liberta alma disposta a obedecer.
    Seus dominadores sabem seu destino final, mas desconhecem o tempo da execução. Rendem-se ao poder de Jesus, suplicando-lhe pena menor. Ordenados, incorporam-se nos porcos que, atormentados, se atiram no mar, com grande prejuízo.
   Já vi gente assim. Perambula de um lado para o outro, discursa alternando lucidez e loucura, oscila entre a amabilidade e violência com rapidez impressionante. Carece de sobriedade, paz interior e sentido para a vida.
    O homem é liberto, experimenta calma, a sobriedade volta, compõe-se socialmente e seu tino reorientado.
   Também já vi gente assim. Os vícios vencidos, a índole violenta dominada, a alma invadida pela paz, a vida refeita, torna-se dócil como uma criança.
    Jesus expulsa os demônios. Os empresários de porcos mandam embora Jesus. Há quem valorize mais os porcos do que a pessoa.
     Você está sem paz? Corra para Jesus.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Quem é este?

A viagem parecia tranquila. Experientes condutores, conhecido Mar da Galileia, de fato, lago, e, completando, a presença de Jesus no barco.

Inicia-se a viagem, o Mestre aproveita o pequeno tempo e vai à popa tirar uma soneca. De repente, mar agitado, ondas por cima do barco, pressão total, adrenalina lá em cima e desespero pavoroso atormenta os destros discípulos.

Mesmo acostumados com os temporais, aquele é diferente. Há evidências de sobrenaturalidade. Para alguns, forças malignas tentavam evitar a chegada de Jesus do outro lado, onde se encontraria com um endemoninhado e o libertaria.

Com medo, correm para Jesus. Parece ironia: pescadores em apuros no meio do mar pedem socorro a um carpinteiro. Ele é o refúgio seguro em qualquer circunstância.

A abordagem deles é repreensiva: não se importa com a gente? Calma e serenamente, ordena: “Cala-te, aquieta-te”. E impera grande bonança.

Há quem imagine que a presença de Jesus garanta ausência de temporais. Alguns que obedecer a Jesus é certeza de inexistência de tempestade. O conforto é que a presença de Jesus e obediência às suas ordens significam socorro na hora da aflição.

Que temporal você enfrenta agora? Corra para Jesus. Como os discípulos, concluirá: quem é este?

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Chegue perto


De longe, eles gritaram: “Jesus, Mestre, tenha misericórdia de nós”. De longe, ouviram: “Vão, e mostrem aos sacerdotes”.

Enquanto iam, foram totalmente curados da lepra. Eram dez.

A condição em que estavam limitava-os em suas relações com a sociedade. Não podiam se aproximar, moravam fora do arraial, tinham que se apresentar como “imundos” e, dependendo de situações climáticas, a distâncias eram diferentes.

Estavam longe de casa. Longe do sorriso familiar. Longe do abraço fraterno. Longe do lazer com amigos. Longe de tudo.

Agora, estão curados. A narrativa não informa se foram mostrar ao sacerdote. Devem ter ido, era prescrito. Um, entretanto, volta e se apresenta diante do sumo-sacerdote. Prostra-se aos pés de Jesus com o rosto em terra e agradece. Era um samaritano.

Preste atenção: este se aproxima. Não está de longe. Mas, e os nove, admira-se o mestre? Continuam longe. A ingratidão distancia. A gratidão aproxima.

Ao que chegou perto, uma palavra especial: “Levanta-te, e vai; a tua fé te salvou”. Jesus está sempre no mesmo lugar. Uns se aproximam, outros distanciam-se.

A cura física tem prazo de validade, mais cedo ou mais tarde, a pessoa parte. A cura da alma invade a eternidade.

Chegue perto. Vale a pena!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Separação - III


Seguindo com o texto “Dez lições de vida que explicam por que os casais se separam”, publicado pelo site sobrerelacionamento.com, destacando que o texto surgiu a partir da experiência do próprio autor,
6ª - Não dizer o que sente. Lição:  Aprendi que mostrar é mais importante do que falar.
            7ª - Não ter equilíbrio. Lição: Aprendi que o equilíbrio mantém o casal focado e sóbrio.
            8ª - Não compreender o grau de importância que o outro dá a determinadas coisas. Lição: Aprendi que é importante conhecer bem a quem se ama se não quiser perder este amor um dia. Sempre temos que dar o que a pessoa espera ou mais do que ela espera.
            9ª - Desconfiar. Lição: Aprendi que se você entrou em um relacionamento, você tem que fazer de tudo para passar segurança a essa pessoa. E você só consegue isso quando demonstra que confia nela.
            10ª - Não ter um propósito. Lição: Aprendi que quando um casal namora por namorar, nunca vai chegar a lugar algum. O namoro é meio que um estágio para o casamento, então tem que ter um objetivo, um propósito. Se o casal não sabe onde querem chegar juntos, vão se perder um do outro no meio do caminho.

            Todo cônjuge encontra alguns motivos para se separar. E também encontra princípios para continuar. Ele decide.  Lute pelo seu casamento e evite a todo custo a separação.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Separação - II

    O site sobrerelacionamento.com publicou um texto com o título “10 lições de vida que explicam por que os casais se separam”. O texto surgiu a partir da experiência do próprio autor.
            São elas:
1ª - Começar da maneira errada. Lição: Aprendi com isso que quando você se entrega a alguém logo de cara, sem conhecer a pessoa, sem conhecer sua família, sem conhecer sua índole, você sempre vai sofrer.
            2ª - Tomar decisões pautadas somente em sentimentos. Lição: Aprendi que se você quer ser feliz com alguém, tem que aprender a pensar com a cabeça e não com o coração.
            3ª - Acusar erros do passado. Lição: Aprendi que se você resolver perdoar alguém, tem que perdoar de verdade e jogar o erro no mar do esquecimento.
            4ª - Não ter paciência para com o outro. Lição: Aprendi que é preciso ter muita paciência nas coisinhas pequenas, senão uma hora um não vai mais aguentar o outro.
            5ª - Deixar os defeitos sufocarem as qualidades. Lição: Aprendi que embora todos tenhamos defeitos, nós precisamos focar na qualidade se quisermos de fato sermos felizes com alguém.
            Todo cônjuge encontra alguns motivos para se separar. E também encontra princípios para continuar. Ele decide.  Lute pelo casamento e evite a todo custo a separação.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Separação - I

        Uma realidade triste no relacionamento familiar é a separação de casais. Inclusive este mal tem alcançado os lares cristãos.

      Três pastores, em cidades diferentes, com ministérios bem distintos, responderam à pergunta “Em sua experiência como pastor, preletor e conselheiro de famílias, quais as causas mais comuns para separação de um casal?”. Seus nomes são preservados para evitar qualquer relação com situações de seus pastoreios.
      O pastor “A” respondeu assim: “A falta de um dos 3 tipos de amor, pode levar qualquer um dos outros 2 tipos de amor, se houver, a um estágio insuportável. Muitos dos que se não todos que se separam o motivo é falta de amor que é confundido por outros sentimentos até positivos porém análogos ao imprescindível amor Ágape, Fileo e Eros”.
        O pastor “B” declarou: “Dificuldade em renunciar vontade pessoal e aceitar os próprios erros tem sido aquilo que mais tenho encontrado. "estou certo,  que se dane o resto".

      Do pastor “C”, temos: “No meu entendimento não existe uma causa isolada. Quando ocorre separação, ocorre por vários motivos juntos. Mas o que pesa em todas as crises conjugais e que desencadeia a separação é a incapacidade de praticar o perdão. Digo para a juventude: "Se você não aprendeu a perdoar, não está preparado para casar". Vida conjugal é perdão! Sem perdão, há separação, não é o problema em si”.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Comunhão na Família

Clique na imagem para ampliar


A quentura do lar


Luiz Gonzaga, o Gonzagão, interpretou a música “Sorriso Cativante”.
A letra é assim:

Quando chego no meu rancho / Vejo a minha moreninha
De sorriso cativante / Eu sacudo a poeira da estrada
E os contratempos da vida / Deixo em lugar distante

Minha paz está ali dentro / Essa moreninha é meu calmante
Minha paz está ali dentro / Essa moreninha é meu calmante

Troço gostoso é o amor / Coisa gostosa é querer bem
É uma fogueira bem acesa / E a quintura da fogueira só faz bem

Quando chego perto da morena / Sinto que eu pego fogo, também
Quando chego perto da morena / Sinto que eu pego fogo, também

            Veja quantos princípios:
            Mulher com sorriso cativante. Receber bem o esposo que chega à casa é uma expressão de sabedoria. Sorriso cativante é para o homem cansado e estressado um calmante.
Marido que deixa os problemas do lado de fora. Preservar a esposa e filhos dos problemas que estressam a vida é atitude de quem alcançou a maturidade.
Certeza que o amor e a relação amorosa provocam bem estar. Bem estar no corpo. Bem estar na mente. Bem estar na alma.

A diferença entre um rancho ou uma choupana e um palácio pode ser bem maior do que a diferença social. Pode ser uma questão de temperatura, enquanto a casa, construção, gera frieza, o lar gera aquecimento. É a quentura do lar.

domingo, 14 de maio de 2017

Mãe, seja mãe

 “Minha mãe foi a mulher mais bela que jamais conheci. Tudo o que sou, devo à minha mãe. Atribuo todos meus sucessos nesta vida ao ensino moral, intelectual e física que recebi dela” - George Washington.
Todos reconhecem, e devem valorizar, as múltiplas funções de uma mulher, algumas vezes fisicamente frágeis, em favor daqueles e daquelas que saem de seu ventre. Tal reconhecimento, em alguns casos, hiperbólico, leva ao equívoco como no provérbio judaico: “Deus não pode estar em todos os lugares e por isso fez as mães”. Logicamente, nenhuma mãe sensata aprova-o.
            Bem semelhante no equívoco, Barbosa Filho declara que “Ser Mãe é assumir de Deus o dom da criação, da doação e do amor incondicional. Ser mãe é encarnar a divindade na Terra”.
            Para Oriana Fallaci, “Ser mãe não é uma profissão; não é nem mesmo um dever: é apenas um direito entre tantos outros”.
            Na verdade, o que o filho e a filha querem, ainda que sejam adultos, é que a mãe seja mãe. Mesmo quando lhes ensina a lição como exímia professora, acompanha na enfermidade como eficiente médica ou castiga como autoridade superior, eles querem ver o sorriso, o carinho, o colo que nenhum outro ser pode promover, só a mãe.
            Mãe, seja mãe de seus filhos, eles desejam isso, eles precisam disso!

sábado, 13 de maio de 2017

Filhos, ouçam seus pais


     Pais foram ouvidos sobre a relação com os filhos. “Qual a maior dificuldade que você tem no relacionamento com seus filhos?".
      Uma resposta foi: “A dificuldade de aceitar a opção sexual da minha filha. E tenho um filho também que tem seus vícios eu sofro muito por vê-los fora dos caminhos do senhor”.
      Outra resposta à mesma pergunta: “Não consigo viver o mundo deles, ou seja, voltar a ser criança em alguns momentos”.
       Para a pergunta "O que você gostaria que seus filhos fizessem diferente?", tivemos as seguintes respostas: “Meu desejo é de vê-los transformados e sempre ajudar ao seu próximo sem esperar nada em troca”.
      É fato que temos uma geração exigente na lembrança de seus direitos, mas silenciosa quanto ao cumprimento de seus deveres. Verdade é que grande parte da culpa é dos pais que se acovardam diante dos desafios de apresentar sua autoridade.
     Filhos desobedientes às orientações paternas estão semeando o mal que resultará numa abundante colheita no futuro. Honrar pai e mãe é o primeiro mandamento com a promessa de que os dias serão prolongados. Um grande prejuízo que terão é não saber ensinar aos seus filhos no futuro o caminho da obediência a partir de seu exemplo.
      Filhos, ouçam seus pais e obedeçam-lhe em tudo.

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Pr. Irland Pereira de Azevedo - Entrevista


Ouça a entrevista do Pr. Dr. Irland Pereira de Azevedo.
18 de abril de 2017 - Belém - Pará


Pais, ouçam seus filhos

            Dois filhos foram ouvidos sobre seus pais: “Qual a maior dificuldade que você tem no relacionamento com seus pais?".
    Eis as respostas: “Minha maior dificuldade com meus pais não envolve diretamente o conflito de pais e filhos, mas isso não anula o fato. Nosso maior problema é o relacionamento instável deles. Nunca estão bem e isso afeta diretamente nosso relacionamento como família, já que os mesmos formam nossa base. Constantes brigas causam cansaço emocional, infelicidade, falta de admiração e falta de vontade de estar perto, que dificultam a harmonia da família e também a nossa intimidade, já que estão sempre tentando justificar seus erros um no outro.       A maior dificuldade que eu tenho com meus pais é o cuidado em excesso. Eles são muito preocupados, não sem razão, mas, às vezes, as preocupações e intervenções decorrentes dessas preocupações, me atrapalham viver algumas experiências até mesmo naturais. Lógico que isso é um zelo que demonstra amor, mas em alguns casos passa um pouco dos limites”.
"O que você gostaria que seus pais fizessem diferente?" apresentou as respostas: “Eu gostaria que meus pais buscassem mais a presença de Deus no relacionamento deles, para que a base da família estivesse firme para sustentar todo o resto. Que fossem mais carinhosos e sinceros dentro de casa, assumindo seus erros e dando bons exemplos para os filhos. No mais, meus pais são maravilhosos e é melhor ter pais que pecam pelo excesso do que pela falta”.
Pais, ouçam seus filhos e os eduquem na orientação do Senhor.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Esposa, ouça seu esposo

        Numa enquete, dois esposos foram ouvidos sobre o casamento.
            As perguntas foram as mesmas para as mulheres: “Qual a maior dificuldade que você tem no relacionamento com a esposa?" e "O que você gostaria que sua esposa fizesse diferente?".
            Um homem respondeu assim: “Ciúmes” para a primeira e “Dar mais espaço” para a segunda pergunta.
            Outro homem respondeu assim: “Minha maior dificuldade com a esposa a culpa é minha. Não soube controlar o ciúme dela. Ela não gosta de sair pra lugar nenhum. Só fica bem em casa. Ela não gosta que eu participe de nada também, mas sempre participei com a Igreja, futebol, associação, política, etc. Nunca minha imagem foi manchada com algo negativo. Mas sinto que a culpa é minha”. À questão "O que você gostaria que sua esposa fizesse diferente?", respondeu objetivamente: “Gostaria que ela confiasse em mim”.
            Curiosamente, vivendo em cidades, contextos e classes sociais diferentes, os dois apontaram ciúmes como dificuldade no relacionamento. E para a segunda pergunta, na essência, as respostas tem semelhanças.
            Esposa, ouça seu esposo! E, como dizem os mineiros, “prestenção”, ouça, mesmo que ela não emita som com a boca.
            O homem mais sábio do mundo declarou: “A mulher sábia edifica a sua casa!”.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Esposo, ouça sua esposa

             Numa enquete, mulheres foram ouvidas sobre o esposo:
            Para a questão “Qual a maior dificuldade que você tem no relacionamento com o esposo?", as respostas, em síntese, foram: "Diálogo. Comunicação prejudicada. Ter uma opinião muito difícil de ser mudada, não tem dificuldade em dialogar, mas dificuldade de ouvir opinião contrária sem se alterar (não é brigar, mas falar alto e às vezes não ouvir as justificativas opostas)".
            Para a questão "O que você gostaria que seu esposo fizesse diferente?", tivemos, em resumo, as seguintes respostas: "Assumisse a posição de sacerdote do lar e líder na família e não se esquivasse das dificuldades que surgem no dia a dia. Fosse mais verbal, valorizasse oralmente as pessoas que ama, abraçasse mais, promovesse culto familiar (liderando espiritualmente o lar), escrevesse bilhetes de amor para mim”.
            Duas observações: 1ª - atitudes bem simples, anseios normais, nada complexo, mas que a ausência interfere negativamente no relacionamento. 2ª -  mesmo em famílias e contextos diferentes, a ausência de diálogo é percebida nos vários casos.
            Num relacionamento saudável, é preciso ouvir o outro. E tal atitude é muito difícil. Sobretudo para o homem. A incapacidade de ouvir tem gerado muitos problemas que poderiam ser evitados.
            Na carta de Tiago, lemos: “Todo homem seja pronto para ouvir!”.

terça-feira, 9 de maio de 2017

Se eu pudesse voltar no tempo - II

Tendo vinte e sete anos e quase cinco meses de casado com Ilcimar e dois filhos, João Marcos e Raquel, reflito que, se pudesse voltar no tempo, faria muita coisa diferente.
Eu rolaria mais no chão com meus filhos e daria e levaria chutes carinhosos.
Eu tomaria mais sorvetes com eles, mesmo que fossem aqueles baratinhos, numa praça onde pudessem correr.
Eu compraria mais balas para eles e lhes daria todas as vezes que chegassem à casa.
Eu jogaria mais futebol com eles na grama do quintal e os deixaria fazer gols para alegria deles.
Eu iria mais à praia nos sábados pela manhã daria caldos e surfava nas pranchas de isopor.
Eu andaria mais de bicicleta, mostrando-lhes os bairros da cidade,
Eu faria o dever de casa com eles, ensinando-lhes as primeiras letras.
Eu iria ao cinema com eles, suportando os filmes que eles gostariam de ver.
Eu abraçaria e beijaria muito mais vezes do que abracei e beijei.
Eu pediria mais perdão pelos erros cometidos do que pedi.
Mas eu não posso voltar no tempo. Sei que não fui um pai irresponsável, mas que faria muita coisa diferente, faria, mesmo que tivesse que deixar de estar presente em algumas reuniões que, na verdade, poucos benefícios trouxeram.

Não dá para voltar no tempo, mas dá para fazer diferente a partir de agora. Façamos.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Se pudesse voltar no tempo - I

Em vinte e dois de novembro de 1987, eu e Ilcimar iniciamos nossa caminhada juntos. Lembro-me como se fosse hoje.

Reflito que, se eu pudesse voltar no tempo, muita coisa diferente faria.

Eu a trataria com mais docilidade do que sempre tratei.
Eu evitaria a todo custo ser ríspido com ela porque algum problema externo estava me tirando a calma.
Eu a abraçaria e a beijaria mais ainda do que sempre fiz
Eu lavaria mais a louça suja da cozinha após refeições tão deliciosas que ela preparou.
Eu limparia mais o chão da casa, poupando-lhe grandes esforços.
Eu nunca a deixaria jogar o lixo fora, deixando-a mais feliz ainda.
Eu aprenderia, mesmo que precisasse de um curso fazer, comprar presentes para presenteá-la.
Eu escreveria mais poemas para ela, registrando em textos o que estava no coração e na mente.
Eu veria mais filmes com ela e programas de TV que ela gostava.
Eu a levaria mais vezes para almoçar e jantar fora, deixando-a escolher o local e cardápio.
Eu a surpreenderia mais vezes ao chegar à casa com um lanche de sua preferência.
Mas eu não posso voltar no tempo. Sei que não fui um namorado, noivo e esposo tão cruel, mas que faria muita coisa diferente, faria, mesmo que tivesse que renunciar muitas atividades que pouco benefício trouxeram.

Não dá para voltar no tempo, mas dá para fazer diferente a partir de agora. Façamos.

domingo, 7 de maio de 2017

Perdão na Família


Clique na imagem para ampliar!

Redes sociais

Um fato inegável e incontestável é que as redes sociais aproximam as pessoas. Mas, também, é fato que elas distanciam as pessoas. Sendo assim, confirma-se a máxima: “a tecnologia aproxima quem está longe e afasta quem está perto”.

É muito comum numa mesma sala diversas membros da família estarem conectados com pessoas de várias partes do mundo e com elas sorrirem, reagirem, mas totalmente distante de quem está sentado ao lado.

Há casos em que pessoas celebram datas especiais de amigos distantes, como aniversários ou casamentos, e se esquecem que no mesmo dia o esposo, a esposa, o filho, a filha, o pai, a mãe, o irmão, a irmã ou outro familiar também vive uma data comemorativa.
Um outro fato inegável ainda é que praticamente não se consegue viver sem essa parafernália. É uma imposição que sequestra a vontade humana e, mais dias menos dias, em alguma rede estará ligado e linkado.

Como conviver com essa realidade? Houve um caso em que amigos e profissionais assumiram a seguinte atitude: quando almoçavam juntos, os celulares, androids e outros eram colocados todos num lado da mesa e quem quebrasse a regra pagaria o almoço.

O conselho é que cada um avalie se a rede social está afastando quem está perto, pois a vida é surpreendente e, na hora da surpresa, quem estiver longe, o máximo que fará é orar por você.


Use a rede social para aproximar sua família, nunca para afastar.

sábado, 6 de maio de 2017

Não espere o avião cair

Neto é zagueiro da Chapecoense e um dos sobreviventes do trágico e irresponsável acidente que vitimou praticamente toda a esquipe da cidade de Chapecó.

Ainda no período de recuperação, num jogo importante de seu time na Arena Chapecó, Neto participou de uma cerimônia e deu uma palavra a todos os presentes no estádio.

Uma síntese é:
“Não espere o avião cair para dizer eu te amo para alguém. Não espere o avião cair para pedir perdão. Não espere o avião cair para dar um abraço. Não espere o avião cair para dar um beijo. Você tem oportunidade todos os dias de fazer diferente e de mostrar que o amor vence. Assim como o amor de Deus venceu em Cristo, o amor nosso vence”.
Não espere o avião cair.
Não espere a enfermidade chegar.
Não espere o grito de dor ecoar.
Não espere a lágrima de decepção rolar.
Não espere a voz do choro surpreender.
Não espere a despedida acontecer.
Não espere a esperança morrer.
Curiosamente, o ser humano é lépido, ligeiro, para tomar decisões importantes hoje não deixando para amanhã. O “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje” é presente quando a vida exige decisões importantes. Mas se é moroso, lento, quando expressar carinho aos familiares.

Não espere o avião cair. Diga hoje ao seu familiar que... ou faça hoje.   

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Celebrações de Comunhão


Clique na imagem para ampliar!

Carta aos pais

Recebi numa rede social o texto “Carta de um diretor de escola em Cingapura para os pais antes da semana de provas”. Independente de sua veracidade, os princípios são válidos:

Prezados Pais,

A semana de provas está para começar. Eu sei que vocês estão esperando que seus filhos se saiam bem.
Mas por favor, lembrem-se de que, dentre os estudantes que estão sentados ali para fazer a prova, há um artista, que não precisa entender de matemática.
Há um empreendedor, que não se importa com história ou literatura.
Há um músico, cujas notas em química não importam.
Há um esportista, cujo preparo físico é mais importante do que a física... assim como a escolaridade.
Se seu filho obtiver as melhores notas, ótimo! Mas se não, por favor, não tire dele ou dela sua autoconfiança e sua dignidade.
Diga-lhes que tudo bem! É só uma prova. Eles foram talhados para coisas muito mais importantes na vida.
Diga-lhes que, independentemente de sua nota, você os ama e não os julga.
Façam isso, por favor. E quando fizer, veja-os conquistarem o mundo. Uma prova ou uma nota baixa não vai lhes tirar os próprios sonhos ou seu talento.
E por favor, não pense que médicos ou engenheiros são as únicas pessoas felizes no mundo.
Com carinho,

A diretoria.