sábado, 31 de março de 2018

Silêncio

Depois de três horas de trevas, declarações amorosas como “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”, dramática interrogação como “Por que me abandonaste?” e o comovente “Tetelestai - Tudo está consumado”, silêncio total.

Silêncio na terra, silêncio no céu e o único lugar de agitação e celebração é o inferno, pensando ter destruído o plano tão propagado pelos profetas e anunciado pelo próprio.

Era o silêncio da dúvida que também alcançou os discípulos. Um suicidou-se. Outro carrega culpa. Querem voltar a pescar. O “tudo está consumado” tornou-se para eles “tudo está acabado”.

Era o silêncio da perda da esperança. Não há futuro promissor, “nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora...”. A esperança foi embora. Com sua partida, veio a tristeza.

Era o silêncio da perda de paz interior. Aquela que prostra, oprime, martiriza, petrifica.

No silêncio, o céu está agindo. Os espíritos em prisão são alcançados. O Salvador não estava derrotado no túmulo. Estava em silêncio. Como esteve no Getsêmane. Como esteve em outros momentos no monte.

Não despreze o silêncio, valorize-o. É porta para encontros e reencontros. Depois dele, sempre surge algo novo. Chegará o domingo.

sexta-feira, 30 de março de 2018

A morte de um pastor e o digno salário do obreiro


Em agosto de 2002, escrevi a crônica abaixo. O Jornal Batista publicou na edição nº 34, datada de 19 a 25/08/02, página 5. Veja foto no final do texto.


Uma informação chamou-nos atenção na Assembléia Convencional em Nova Iguaçu: orar pela família de um pastor que morrera assassinado na noite anterior. No outro dia, os jornais estampavam: “Roberto Pereira Moledo, 47 anos, pastor da Igreja Batista no Bairro Pilar, em Duque de Caxias, foi assassinado com 3 tiros nas costas e 1 no rosto”.

Morrer assassinado neste violento mundo pode ser a experiência dolorosa de qualquer pessoa, até de um pastor. O que marca é que esse pastor era taxista e, às 21h e 45min, estava trabalhando para sobreviver e sustentar a esposa e os filhos. O que marca é que esse pastor morreu num período em que os batistas fluminenses estavam reunidos e ele não podia porque dependia dos recursos de uma corrida aqui e ali na explosiva baixada fluminense. O que marca é que, agora, uma esposa e filhos estão sem o esposo e pai e como entender que era pastor e precisava trabalhar numa atividade tão perigosa, usando o carro, quando vários podem desfilar com luxuosos e, alguns, com mais de um na garagem.

Sabemos que, como batistas, não somos responsáveis pela morte de pastor. Mas somos responsáveis pela falta de plano que valorize o ministério pastoral batista de forma mais justa. Somos responsáveis pela falta de critérios na organização de igrejas que não podem, sequer, solicitar que seus pastores tenham atividades menos perigosas. Somos responsáveis pela má distribuição de recursos que, em vários setores, se gasta mais com estrutura do que com gente e com a apoio a igrejas que precisam alavancar seu trabalho. Somos responsáveis quando permitimos que alguns executivos ou funcionários ganhem um baita salário, alguns com despesas diversas pagas, e um pastor precisa varar a noite para ganhar um pouco mais. Somos responsáveis quando aprovamos um orçamento que não atende, com um mínimo que seja, situações desse porte.

É possível que sejamos tentados a pensar que esse pastor estava assim por uma série de razões. Estas servem para justificar nossa inoperância. Certamente era um desintegrado, homem sem fé, igreja sem compromisso com a denominação, coisas desse tipo, diriam alguns. Pois bem, fui conferir e descobri que, no ano passado, de 12 meses, sua igreja contribuiu com 8 parcelas. Estava na média das maiores contribuições, proporcionalmente falando, verificadas nos relatórios.

Pode parecer que escrevemos com algum tipo de recalque. Engana-se quem pensa assim. Tenho sido assistido pela igreja que, há 13 anos, tenho a honra e o privilégio de pastorear. Sinceramente, o que ganho não dá para sobrar, mas, também, não falta para as necessidades básicas. Lembrando Pr. Mauro Israel Moreira, “é um luxo”. Lembrando Pr. Irland Pereira de Azevedo, que citava Pr. José de Miranda Pinto, “dinheiro de pastor, se sobrar, estraga”. O que faço aqui não é um atirar de lama em pessoas que administram nossa estrutura, até porque dela também participo. O que pretendo é não permitir que um fato tão dramático passe despercebido e não tiremos lições dele. Um pastor morreu! Morreu, não! Foi assassinado! Foi assassinado simplesmente, não! Estava trabalhando como taxista de noite numa área extremamente violenta porque não tinha condições de viver do ministério. Que faremos?!

É bom lembrar que, dentre os vários pastores que morreram este ano, três foram motivos de aplausos aqui e ali: João Filson Soren, João Teixeira de Lima e Mauro Israel Moreira. Em dimensões diferentes, foram destaques em revistas, jornais e outras mídias. E Roberto Pereira Moledo? Este foi notícia nas páginas policiais. Não se tratava de um desonesto, trambiqueiro, trapaceiro, namorador e coisas desse tipo. Era um trabalhador pastor ou um pastor que precisava trabalhar em outra atividade para se sustentar e à família. Ele está no céu e não sofre mais as lutas desta vida, mas nossa história ficou manchada. Mas, que faremos nós? Ficaremos calados? Protestaremos junto às autoridades sobre a violência no Rio de Janeiro? Escreveremos artigos argumentando que o ministério exige tempo integral? É possível que pensemos em tudo isso, menos em assumir os erros de uma estrutura incapaz de atender situações como essa!

Que a morte desse pastor batista não fique esquecida, mas nos faça refletir!




Desça da Cruz


O plano é da eternidade. Lá, o Cordeiro foi sacrificado e, “na plenitude dos tempos”, invadiu a humanidade e aqui viveu. O plano incluía a Cruz. E ardilosas tentativas desejavam que ela não acontecesse.

Assim foi com Herodes matando os meninos, o tentador no deserto, oferecendo-lhe os tronos, Pedro sugerindo-lhe desviar-se dela. Mas, “obediente até a morte, e morte de Cruz”, não fugiu.

O que “é loucura para os que perecem; para os salvos, é o poder de Deus”. O “que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos, para os chamados, tanto judeus como gregos, poder e sabedoria de Deus”.

No Getsêmane, clamou: “Passa de mim este cálice, se possível”. Não era a dor dos cravos que o afligia, nem o ferimento da coroa de espinhos que o atormentava, nem a cravada da pontiaguda lança que o desestabilizava. Era o meu pecado que ele assumiu. O Santo dos santos tornando-se o pior dos pecadores. Sugerem-lhe uma saída: “Desça da Cruz!”. “Salvou aos outros, por que não se salva a ti mesmo? Salva-te e a nós também!”.

Mas Ele não desceu. Por mim. Por você. E convida ternamente: “Quer vir após mim?: negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me”. Não despreze a sua cruz, ele não desceu por amor.  

quinta-feira, 29 de março de 2018

Recomeço



O enredo se desenrolava como planejado pelo Eterno na eternidade. O plano culminaria com a morte, e morte de cruz. Um dos eventos é o acusado passar pelo Sinédrio para dar legalidade ao ato. De longe, Pedro o seguia e desejava ver o fim.

Enquanto aguardava, uma criada o denuncia: “Você estava com Jesus, o galileu”. “Não sei do que fala”, responde o intrépido, agora medroso, Pedro. Muda de lugar, mas descoberto é de novo, as criadas o perseguiam: “Juro, não conheço tal homem”. Que covardia! Agora, não é uma criada, mas vários que estavam ali: “Você é um deles, seu modo de falar é parecido!”. Juramento e praguejamento do discípulo que prometera: “Até à morte, irei contigo!”.

O galo canta. Ele se lembra: “Três vezes me negarás antes do canto do galo!”. Ele chora, chora amargamente. Ficou estigmatizado como o discípulo que negou. Pouco destaque para seu compromisso reafirmado depois e sua morte trágica por amor a Jesus. Assim é a humanidade: lembra-se mais dos defeitos do que das virtudes.

Todos os dias se é tentado a negar a Jesus. Em família, no trabalho, nos negócios, no lazer, nos relacionamentos. E, muitas vezes, se nega. E o galo canta. E vem a lembrança d’Ele, seu olhar terno, paterno e eterno. E se tem oportunidade de recomeçar.

Não fique na negação, recomece. Quem subiu a cruz, desceu de lá para reerguer todos.

terça-feira, 27 de março de 2018

Jesus Ama Você


Grandes provações tens passado
Em momentos tens chorado
Sem ter o que fazer
Sem ninguém pra conversar
Sem poder se levantar e reagir

Quando alguém te fere com palavras
Que machucam o coração
As lágrimas dos olhos
Molham o teu rosto e é tanto sofrimento

Erga tua voz
E clame ao senhor
E ele ouvirá
O teu clamor

Pra que temer
Se Cristo está contigo
Se Ele é teu amigo
Pra que se abater
Pra que ficar
Assim, desse jeito
Ninguém é perfeito
Jesus ama você

Saiba que Jesus te consola
Teu sorriso então renasce
Ao nascer da alvorada
E jamais te deixará

Erga tua voz
E clame ao senhor
E ele ouvirá
O teu clamor

Pra que temer
Se Cristo está contigo
Se Ele é teu amigo
Pra que se abater
Pra que ficar
Assim, desse jeito
Ninguém é perfeito
Jesus ama você.

            Bela poesia interpretada por Marquinhos Góes com o título “Jesus Ama Você”.
            Caso todos neguem um sorriso, Jesus sorrirá para você.
            Caso neguem uma ajuda, Jesus estenderá sua protetora mão.
            Quando não encontrar uma saída, Jesus é a porta.
            O que acontecerá depois, não importa,
            Jesus é e socorrerá com proteção.

            Erga a voz, desate os nós.
            O teu clamor, ele ouvirá.
            E solução dará
            Para a luta atroz.

segunda-feira, 26 de março de 2018

Vida abundante


“... Eu vim para que tenha vida e vida em abundância” - João 10.10.

A vida abundante pode ser entendida em duas perspectivas: a perspectiva eterna, no sentido de morar com Cristo para sempre depois da morte, e a perspectiva terrena, enquanto estamos aqui.

Na perspectiva eterna, tem-se a garantia de que todo sofrimento será sepultado com o corpo. Com Cristo na eternidade, não haverá choro, ranger de dentes, dores, temos, tensões, preocupações. O cordeiro enxugará as lágrimas dos olhos. É a vida abundante em sua plenitude.

Na perspectiva terrena, a atitude de quem desfruta dela enquanto está aqui na terra. Há cristãos que parecem não ter encontrado a mensagem de vida abundante que Cristo oferece. Vivem como se fossem os mais infelizes deste mundo.

Vida abundante é agradecer mais e reclamar menos.
Vida abundante é chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram.
Vida abundante é ter alegria independente do que acontece ao redor.
Vida abundante é olhar o outro como semelhante independente de sua cor, crença e práticas.
Vida abundante é ter compaixão dos que sofrem.
Vida abundante é revelar Jesus em todas as atividades.

Você pode desfrutar da vida abundante agora e não permitir que o ladrão roube sua alegria.

domingo, 25 de março de 2018

Sabedoria - Última parte


A série sobre a sabedoria encerra-se aqui. Onze reflexões sugeriram uma estrada em que sinalizações são percebidas, procurando alertar o caminhante sobre possíveis acidentes.

Fora a introdução e a conclusão, em cada dia da série, um enunciado marcava aquela meditação. Exemplo: Reaja com inteligência. Eles reunidos formam um acrônimo, ou seja, a primeira letra de cada um, na vertical, forma a palavra SABEDORIA.

Ouça com atenção:

               
                                      Seja prudente nas decisões.
Adote a sobriedade no viver.
Busque insistentemente a paz.
Encoraje pessoas ao sucesso!
Dedique-se com afinco ao que faz.
Obedeça totalmente às leis.
Reaja sempre com inteligência.
Insista no que acredita de verdade.
Ame a todos com todas as forças.

Como ensinou Salomão, “a sabedoria é a coisa principal; adquire, pois, a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento” - Provérbios 4.7.

Ao contrário do que se pensa, a sabedoria não pode ser armazenada e a cada necessidade se apropria de parte para usá-la. É um exercício diário e permanente. Quanto mais sábio, mais sabe que não sabe. E como alertou o poeta, “quem sabe menos das coisas, sabe muito mais que eu”.

No mais, quer a sabedoria? Peça a Deus, ele dá liberalmente.

sábado, 24 de março de 2018

Vereadora Mariella Franco: Líderes Batistas emitem opinião - Parte Final


Passados dez dias da morte da vereadora Mariella Franco (foto), nosso blog ouviu mais opiniões* sobre o ocorrido.

O mesmo enunciado - leia abaixo - foi enviado e foram recebidas as respostas.

A morte da vereadora Mariella Franco tem suscitado os mais diversos posicionamentos de cristãos nas redes sociais, desde os que percebem uma tentativa de calar a voz de alguém que gritava em favor dos não tem voz quanto os que sugerem estar a vereadora colhendo o que plantou. Que pensa você?

Pr. Adenauer Pereira Sampaio
Para o Pr. Adenauer Pereira Sampaio, auxiliar de ministério na Igreja Batista do Braga, Cabo Frio, "Nenhuma coisa, nem outra. A morte dela é fruto de um Estado falido, corrompido e desprovido de valores. Crime decorrente da certeza quase absoluta da impunidade. A morte dela deve ser lamentada. Como também devem ser as outras 70.000 ocorridas só em 2017. Mais de 40 políticos (prefeitos e vereadores) e, só no Rio, quase 140 policiais. O que não se justifica é a repercussão da morte e endeusamento da vítima. Essa repercussão tem como único motivo o afinamento entre a militância da vítima e o discurso encampado pela grande mídia".

Pr. José das Neves
O pastor José das Neves, presidente da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil, Subseção Litorânea Fluminense, entende que "Estamos vivendo  um momento muito difícil em nosso país. Todo dia vemos vidas, inocentes ou não, sendo ceifadas e isso é muito triste. Neste caso especifico, da vereadora Mariella há, no meu modo de ver, dois agravantes. Primeiro- ela era uma líder eleita por uma comunidade para defender os direitos daqueles que depositaram confiança nela. E ela defendia o seu ponto de vista com muita determinação ( nós também como Batista brigamos pelos nossos princípios). Segundo - O  crime premeditado. Ver a cena de homens seguido o carro com a finalidade única de executar deveria tocar em qualquer ser, e isso independe de partido, religião ou ideologia. Mas,  paralelo a esta imensa barbárie o que tem me assustando é esse clima de disputa entre direita esquerda em cima dessa tragédia humana. Me faz pensar que a humanidade perdeu de vez a sensibilidade. É como se assassinasse a Mariella de novo".

* Os comentários são de total responsabilidade dos autores.

Sabedoria - X

Ame a todos com todas as forças.


O tema mais decantado de todos os tempos pelos poetas é o que mais ausente está na vida da humanidade, o amor. É muito comum ouvir que a linha que separa o amor do ódio é muito tênue e que na mesma velocidade e intensidade com que se ama pode-se odiar. Só mesmo uma humanidade doente para imaginar algo assim.

O amor não é exclusivo, é inclusivo.
O amor não é seletivo, é abrangente.
O amor não é egoísta, é altruísta.
O amor não é segregador, é agregador.
O amor não interesseiro, é desprendido.
O amor não é misantropo, é filantropo.
O amor não é afastador, é aproximador.
O amor expulsa a amargura, pois amar, cura.

Num grupo de relacionamento de whatsapp, após a derrota de um time, começaram as zoações dos torcedores vitoriosos nos perdedores. Uma festa. No privado, um deles enviou slide a outro para provocar no grupo. Recebeu como resposta: “Não vou fazer isso, fulano fica muito triste, ele sofre muito com a derrota”. Amar é deixar de zoar o amigo porque ele sofre com a de seu time.

No início, era “olho por olho, dente por dente”. Jesus ensinou: “ame ao próximo como a si mesmo”. Mais tarde, ampliou: “ame ao próximo como eu amei a vocês”.

Quer a sabedoria? Ame a todos com todas as forças.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Sabedoria - IX



            Insista no que acredita de verdade.

Embora haja quem distinga insistência de persistência, sugerindo que insistir se liga aos erros e persistir aos acertos, aqui são sinônimas. 

Desistir facilmente dos desafios prova que não se acredita no que se faz. E a pior crise da desistência é perceber logo à frente que o sucesso estava tão próximo, caso insistisse.

Charles Chaplin ensina que “a persistência é o caminho do êxito”. Samuel Johnson assegura que “os grandes feitos são conseguidos não pela força, mas pela perseverança”. E Walter Elliott sinaliza que “a perseverança não é uma longa corrida; ela é muitas corridas curtas, uma depois da outra”.

Imagine se José desistisse e não insistisse? Como seria o final daquela história?

Imagine se Moisés retrocedesse ao convívio do palácio? Como ficaria o povo no opressor Egito?

Imagine se Josué desistisse? Como alcaçaria o povo a terra prometida?

Imagine se Neemias ficasse com medo? Como ficaria a reconstrução de Jerusalém.

Imagine se Jesus fugisse da cruz? Como ficaríamos?

Todos eles tiveram razões para desistir. Mas insistiram. E tudo deu certo. A tristeza de quem desiste é descobrir que tudo deu certo para quem insistiu.

Você quer escalar a montanha da sabedoria? Insista no que acredita de verdade.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Sabedoria - VIII



Reaja sempre com inteligência.

“Não vos vingueis uns aos outros, caríssimos, mas deixai agir a ira de Deus, porque está escrito: A mim a vingança; a mim exercer a justiça, diz o Senhor. Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber. Procedendo assim, amontoarás carvões em brasa sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer pelo mal, mas triunfa do mal com o bem” - Romanos 12.19-21.

Reagir é sempre muito mais difícil e complicado. E a maioria dos erros cometidos não é por ação, mas por reação. Precipitar-se numa ação traz problemas, mas precipitação nas reações, normalmente, traz muito mais. Há casos em que a vida foi interrompida precocemente porque a reação foi precipitada.

Reagir com inteligência é sinalização de relacionamento com Deus.

Reagir com inteligência é demonstrar na prática que os ensinos cristãos não ficam apenas no coração, mas são transferidos para as mãos, os pés, a língua.

Reagir com inteligência é valorizar mais o semelhante do que ele, propriamente, possa nos fazer.

Reagir com inteligência é a capacidade de entender que tudo tem o seu tempo determinado e que Deus tem o controle de todas as coisas.

A sabedoria é sua meta? Reaja sempre com inteligência.

Sabedoria - VII


 Obedeça totalmente às leis.

Ao afoito rei Saul, Samuel repreendeu: “Melhor é obedecer do que sacrificar”.
            
Obediência não é uma palavra muito agradável para alguns nos dias atuais. Está relacionada a fardo pesado, cerceamento da liberdade, subordinação a sistemas e pessoas. Mas o caminho da sabedoria é pavimentado pela obediência.

Em duas vertentes, ela deve ser praticada: a vertical e a horizontal. Obedecer a Deus e aos homens. Obedecer a Deus e desobedecer aos homens é incoerência. Até mesmo um porteiro tem autoridade concedida e a ele deve-se obedecer ao receber orientação.

Sua prática exige sinceridade. Ed René Kivitz sugeriu: “Parece que Deus tem mais prazer em se relacionar com desobedientes íntegros do que com obedientes hipócritas”.

Com tristeza, lembro-me de amigos de adolescência e juventude que tinham tudo para alcançarem sucesso, mas terminaram no ostracismo, alguns encerrando a vida precocemente. Eram brilhantes, tinham suporte dos pais, os círculos de relacionamentos escancaravam portas de oportunidades. Qual foi o erro? Trilhar o caminho da desobediência.

Trilhe o caminho da obediência, mesmo que nada esteja dando certo, no final, ela revelará os seus frutos.

Quer a sabedoria? Obedeça totalmente às leis.

terça-feira, 20 de março de 2018

Sabedoria - VI



Dedique-se com afinco ao que faz.

“As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza” - Provérbios 10.4.

Diligente é ativo, aplicado, zeloso, empreendedor, cuidadoso. É quem veste a camisa e se aplica em tudo o que faz.

O desastroso incêndio que arrasou grande parte de Londres em 1666, sendo destruídas 87 Igrejas, incluindo a catedral St. Paul, mobilizou Sir Christopher, um dos maiores arquitetos da época, na reconstrução. Desconhecido de muitos, ao passear pela obra de uma Igreja, notou a diferença na atitude de alguns pedreiros. A três deles, perguntou como se sentiam. Um respondeu: “Estou exausto nesse enfadonho trabalho!”. Resposta semelhante deu o segundo. Do terceiro, ouviu: “Estou muito feliz, estou ajudando Sir Christopher a reconstruir uma Catedral.

Do idolatrado Ayrton Sena, aprendemos: “No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz. Se você quer ser bem sucedido, precisa ter dedicação total, buscar seu último limite e dar o melhor de si”.

De Leonardo da Vinci, temos: “Em primeiro lugar vem a dedicação, depois a habilidade”.

Não importa o que estiver fazendo, faça com dedicação.

Dedicar-se com afinco ao que faz é sabedoria.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Pastor Batista completa Jubileu de Coral de Consagração ao Ministério

Página da Bíblia com nome dos
pastores que formaram o presbitério e diretoria.
O pastor Gilson Antonio Paiva Bifano completou no último dia 6 de março 35 anos do concílio que o examinou para o Ministério Pastoral.  O ato consagratório aconteceu no dia 19 de março de 1983.
A Igreja Batista 22 de Novembro, na cidade de Niterói, foi a promotora do evento, guindando ao ministério um jovem brilhante que se despontava como líder respeitado, que exercia brilhante atividade, na época, na pujante JUBERJ.

Há 20 anos, o pastor Gilson Bifano, como é carinhosamente conhecido, para os íntimos, Don, dirige o Ministério Oikos, instituição que dá suporte a Igrejas, empresas e instituições diversas nas questões envolvendo a família.

Vários pastores influenciaram na vida cristã do jovem Gilson e o levaram ao compromisso de assumir o ministério pastoral: "Tenho um artigo que falo sobre isso. Mas foi sem dúvida o pastor Osmar Soares, pastor da minha adolescência e juventude".

Hoje, o veterano e respeitado líder com alcance mundial de seu ministério, está convicto ainda mais de sua missão e afirma: "Embora tenha sido pastor de igreja local por apenas 4 anos, sempre exerci funções ministeriais, pudesse voltar há 40 anos, escolheria ser pastor de novo".

Para o Pr. Bifano, "Um dos grandes desafios de ser pastor hoje é a pluralidade de mensagens que veiculam hoje. São tantos os mensageiros que no meio de tantas vozes há muita heresia". E aconselha com autoridade aos iniciantes: "Que sejam fiéis à vocação , ao chamado de Deus".

Hoje, às 19h30. acontecerá o culto de ações de graças pelos 35 anos de ministério pastoral, na Igreja Batista 22 de Novembro -Rua 22 de Novembro, 90, Fonseca - Niteroi.


Sabedoria - V


Encoraje pessoas ao sucesso!


Seja um encorajador para as pessoas, sobretudo aquelas que se encontram em situações mais difíceis. Devemos ser rampas leves para aqueles que precisam subir. Nunca escadas caracóis estreitas e altas, nem labirintos difíceis para encontrarem o caminho.

Ao jovem Timóteo, Paulo disse: “Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia...”. Mais tarde, reforçou: “Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti...” - I Timóteo 4.14 e II Timóteo 1.6.

Todos os que se lançam à realização de projetos e programas que podem mudar o destino de pessoas recebem ataques para se desanimarem. E não falta torcida para que o fracasso seja o fim. Mas, pela graça de Deus, aparecem os encorajadores. Seja um deles.

O excitante é que à medida em que as pessoas encorajadas por nós alcançam degraus mais altos somos encorajados a grandes desafios também. É uma espécie de efeito bumerangue.

Que desafio tem amedrontado você? Insista, persista, não desista. A fraqueza se agiganta quando desistimos, mas se apequena quando avançamos, vendo nos obstáculos uma oportunidade.

Quer a sabedoria? Encoraje pessoas ao sucesso!

domingo, 18 de março de 2018

Vereadora Mariella Franco: Líderes Batistas emitem opinião - Parte II

Mais opiniões de líderes* espirituais sobre o caso que dominou as mídias no Brasil e foi destaque no exterior.

Foram ouvidas diversas lideranças e a todas apresentada o enunciado a seguir. 

A morte da vereadora Mariella Franco tem suscitado os mais diversos posicionamentos de cristãos nas redes sociais, desde os que percebem uma tentativa de calar a voz de alguém que gritava em favor dos não tem voz quanto os que sugerem estar a vereadora colhendo o que plantou. Que pensa você?


Toda luta pela igualdade e amparo aos menos assistidos traz consequências porque contraria vários interesses.
A pior morte é a morte da amordaça. Matar a liberdade de expressão é a atitude mais animalesca na vida dos que se dizem humanos.
Hudson Galdino da Silva - Pastor da Segunda Igreja Batista de Cabo Frio e Secretário Geral da Associação Batista Litorânea Fluminense

Pr. João Luiz Mello
O Pr. João Luiz Mello, líder espiritual da Primeira Igreja Batista da Vila da Penha, no Rio de Janeiro, relaciona o fato ao momento em que vive o Rio de Janeiro: "Não posso afirmar nem uma coisa nem outra. Apenas algumas certezas: violência crescendo, número de mortes crescendo, tristeza e medo tomando conta do coração do carioca. Cada vez mais é tempo de orar e trabalhar para que haja paz na cidade".

Pr. Cléverson Bigarani, Coordenador e Mobilizador da Junta de Missões Mundiais da Convenção Batista Brasileira, em viagem no calor de uma campanha missionária, foi bem suscinto: 
"Crime é crime. Eu lamento".



* Os comentários são de total responsabilidade dos autores.

sábado, 17 de março de 2018

Vereadora Mariella Franco: Líderes Batistas emitem opinião - Parte I

Vereadora Mariella Franco
A morte da vereadora Mariella Franco tomou conta dos noticiários brasileiros e, em todo o mundo, o destaque para a forma como foi assassinada tem despertado a atenção.

Nas redes sociais, pessoas de todos os credos se manifestam e os discursos se apresentam em diferenças tão marcantes quanto os extremos do oriente e ocidente.

Buscando opiniões de líderes espirituais*, nosso blog ouviu diversas lideranças e a todos foi apresentado o enunciado a seguir. Leia as opiniões:

A morte da vereadora Mariella Franco tem suscitado os mais diversos posicionamentos de cristãos nas redes sociais, desde os que percebem uma tentativa de calar a voz de alguém que gritava em favor dos não tem voz quanto os que sugerem estar a vereadora colhendo o que plantou. Que pensa você?

Pr. Gilson Bifano
Para o Pr. Gilson Paiva Bifano, Diretor do Ministério Oikos, "Não devemos, de forma alguma banalizar sua morte. Devemos, sim, nos indignarmos com mais um caso de homicídio em nossa cidade. Entretanto, devemos aguardar as investigações para saber, se possível, as verdadeiras motivações dos assassinos. O que não podemos permitir é transformar esse homicídio em um palanque para o partido da qual a vereadora fazia parte desfraldar sua bandeira ideológica".

Pr. Luiz Antônio Vieira
Para o Pr. Luiz Antônio Vieira, líder espiritual da Primeira Igreja Batista de Piabetá, "Creio que ela foi vítima da vida e ambiente em que foi educada e modo como escolheu viver, sendo assim, entendo ter sido ela vítima do seu modo de viver, porém advirto que ninguém tem o direito de tirar a vida de ninguém a não ser dentro do cumprimento da lei normatizada e civilmente reconhecida".

* Os comentários são de total responsabilidade dos autores.