segunda-feira, 31 de julho de 2017

Milagres


Durante este mês, o Café foi sobre milagres. Foram destacados alguns que fazem parte dos registros bíblicos e outros das experiências vividas.
            Da série, sinalizamos alguns ensinamentos:

1.    Deus continua realizando milagres. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente.

2.    Deus não tem filhos preferidos e preteridos, atendendo a uns e não a outros.

3. Embora a fé seja elemento importante, Deus não atende por causa da fé demonstrada por alguém. Ele o faz por causa de sua bondade, seu amor e sua misericórdia.

4.    Nenhuma pessoa tem procuração especial de Deus para realizar maravilhas, todos podem ir ao socorro divino, suplicando-Lhe o milagre. As orações intercessórias fazem parte de nossa comunhão no corpo.

5.    Não há causa impossível para Deus, somente Ele dá a palavra final, mesmo quando todas as possibilidades humanas fogem.

6.    A maturidade do cristão reside em buscar a vontade soberana de Deus nas causas impossíveis, Ele sabe o que é melhor!

7. Ordenar a Deus e exigir d’Ele realizações revelam como desejamos passar da condição de criatura para Criador, de filho para Pai, de humano para Divino.

8.    Ter a cura da alma é mais importante do que a cura física. Todo milagre físico tem prazo de validade, um dia vamos partir.

Creia em milagres! Creia que Deus realiza milagres. Mas, sobretudo, estabeleça relacionamento com Ele, pois amá-lo por quem Ele é revela maior maturidade do que pelo que Ele faz!

domingo, 30 de julho de 2017

Águas tranquilas

O sulista Pr. Ivo Seitz e sua esposa Gladz Seitz publicaram o seguinte texto:

O Senhor Cristóvão era um pai de família que enfrentava muitas dificuldades. Hanseniano e diabético, sofria ainda de obesidade mórbida. Um vizinho nos falou dele como sendo um homem alegre, crente em Cristo. Quando seu quadro se agravou, foi levado em um carro do Corpo de Bombeiros para o Hospital de Base de Porto Velho, RO. Ali trabalhava nossa querida enfermeira Wally Hirschmann (mana e cunhada).

Na mesma época, deu entrada no hospital uma funcionária pública, em estado gravíssimo. Arrogante, tratava a todos com rispidez e expulsava quem tentasse lhe levar consolo.

Wally fez amizade com o irmão Cristóvão e conversava com ele frequentemente, admirando sua coragem e bom humor. Como podia estar tranquilo, vivendo situação tão grave?

Tanto a funcionária quanto o irmão Cristóvão faleceram. Ele partiu tranquilamente, sorrindo. Ela, aos gritos desesperados de: "Eu não quero morrer!".

Wally veio à nossa casa e disse estar impressionada com a diferença nas atitudes dos dois doentes.

Davi, o rei poeta de Israel, diz que o Senhor, nosso pastor, "nos conduz a águas tranquilas" (Salmo 23.2).

Cristóvão vivia situações difíceis, turbulentas, mas o Espírito Santo consolador o levou a águas tranquilas.

O Bom Pastor conhece os perigos que enfrentamos e nos conduz ao descanso, à tranquilidade.

Que bênção é confiar em Deus!