quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

A nossa história se desenha no hoje



      Bruna Lemos
      Jornalista

“Agora que já ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos, porque isso é essencial para o homem.” Eclesiastes: 12. 13.

Introdução: Entre este mês e o que passou ao recostar a cabeça no travesseiro tenho me dedicado a pensar na brevidade dos meus dias terrenos.  Penso em quando era criança, nos sonhos da adolescência, nas brincadeiras e quando já jovenzinha nos planos almejados para o futuro... Que parecia ser tão distante.
De repente de uma forma mágica o futuro chegou. Mas porque parecia incompleto, claro que segundo os meus projetos íntimos e pessoais, continuei a projetá-lo, a postergar-lo, como se o futuro ambicionado estivesse a mais alguns meses, anos à frente. Até perceber que hoje é o futuro, o único que tenho, visto que, o que passou já foi não poderei mais vivê-lo e que o está por vir ainda não me pertence. Por essa razão, meu coração começou a palpitar mais rápido, meu corpo a se revirar na cama em noites longas e minha mente no fim do dia a sinalizar que mais um dia se foi. Passei a ter uma vontade intensa de viver, quero dizer: VIVER com qualidade.

Texto: O assunto que estava me tirando o sono permanece vivo dentro de mim. A questão era viver o hoje e não deixar para o futuro. Semear sim, sem esquecer-se de valorizar a atual colheita. Então, numa reunião de amigos após a celebração de domingo à noite, na casa de um deles, comendo pipoca, feita também por um deles, tecemos uma conversa que se prolongou até de madruga. Naquele momento fui perguntando a cada um sobre sua vida e satisfação nela. As respostas intrigantes, simples e poéticas contornavam o diálogo com detalhes que só a nossa alma pode registrar. Entre eles havia um físico, o Thiago, um bom conhecedor de que as variáveis são uma constante na vida. Ele afirma: “O belo da vida são as variáveis.” Ou seja, aqueles imprevistos que nós não estávamos contando... É, a variável.

Outro parecia impulsionado por Deus, o Douglas, um cara sempre sorridente que ao discorrer posicionou-se com seriedade e discursava, discursava, sendo ouvido por todos declarou: “Os dias se vão aqui na terra, porém contabilizando mais um para chegarmos ao céu”.
Eu sempre muito curiosa desencadeio perguntas, observo comportamentos e busco conclusões. Queria saber mais a respeito da vida, como vivê-la e como ser plenamente feliz. Mas a questão, era pertinente a questão de que ainda não possuímos tudo que sonhamos. Em resposta, a Adriana, licenciada em Ciências Biológicas, atualmente trabalhando como corretora de imóveis, posiciona-se convicta de que a satisfação dos seus dias está no seu relacionamento íntimo com Deus. Ao que consta no meu entendimento acho que é mais ou menos assim: viver com Ele e para Ele.

Encontrar em Deus todo o necessário para viver. A afirmativa revela o essencial da vida, mas eu ainda me apego às ações importantes e as sutilezas dos detalhes desta vida transitória. E por isso, observei algo importante no comportamento do Junior, técnico em TI. Ele tem uma característica forte, às vezes é teimoso, diante dessa situação somos condicionados a agirmos como sábios ou como tolos. Então, concluímos que as escolhas revelam o quanto de qualidade tem a vida. Que beleza se revela a vida diante da tomada decisões!

Ah, beleza mesmo está na doçura da menina Bel, estudante do ensino médio, apaixonada pelos livros de Augusto Cury e Max Lucado, dedicada ao conhecimento da filosofia, gosta de pensar e ao expor o que pensa traz equilíbrio ao ambiente e esbanja sabedoria. E o mais relevante de tudo isso é como ela relata viver bem o tempo que tem.

A Bel é pouquíssimo presa aos padrões sociais. Ela encena, conversa, rir, fala sozinha e se aquieta. Ela simplesmente vive.

Viver, viver e viver. A conversa teria acabada se não fosse pela conclusão que chegamos. Fizemos um pacto ou um memorando, como você preferir. E assim foi feito.  Ele tem como tema: A NOSSA HISTÓRIA SE DESENHA NO HOJE. Assumimos o compromisso um como outro daquilo que não devemos deixar para o futuro. Segue a lista abaixo:
Fazer as coisas boas ao meu alcance e ser feliz.
Evangelizar e ser feliz agora com o que tenho.
Organizar meu tempo segundo o tempo e o querer de Deus.
Ouvir mais as pessoas e expressar amor a elas com atitudes, servir.
Aproveitar as todas as oportunidades para servir, fazer feliz e ser feliz.
Fortalecer minha fé para ajudar meu semelhante.

Porém, ainda não estava satisfeita e fui tentar encontrar mais respostas. Trabalho numa redação de jornal impresso. Saí mais cedo do trabalho, caminhei a até a praia e andei descalça pela areia. Encontrei felicidade ali. Andava, conversava comigo e sem necessidade nenhuma de dinheiro, status ou reconhecimento, vivi plenamente este dia.

O assunto não estava sanado, talvez nunca seja esgotado dentro de mim. A curiosa jornada se segue, mas compreendi depois de vasculhar os relatos deixados em Eclesiastes pelo rei Salomão, o tão sábio rei, e concluo que “agora que já ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e obedeça aos seus mandamentos, porque isso é essencial para o homem.” Eclesiastes 12: 13. Este é o segredo da vida plena, quanto ao mais simplesmente viva!

4 comentários:

  1. Muito bom o texto, faz nos refletir na vida.

    ResponderExcluir
  2. Caramba ás vezes esquecemos de coisas que devem ser primordial em nossas vidas em busca do que apenas vaidade.

    ResponderExcluir