domingo, 20 de novembro de 2016

A fábula do Beija-Flor


Era uma vez um Beija-Flor que fugia de um incêndio juntamente com todos os animais da floresta. Só que ele fazia algo diferente: apanhava gotas de água de um lago e atirava-as para o fogo.
A águia, intrigada, perguntou: – “Ô bichinho, acha que vai apagar o incêndio sozinho com estas gotas?”.
– “Sozinho, sei que não vou”, respondeu o Beija-Flor, “mas estou fazendo a minha parte”.
            Envergonhada, a águia chamou os outros pássaros e, juntos, todos entraram na luta contra o incêndio. Vendo isto, os elefantes venceram seu medo e, enchendo suas trombas com água, também corriam para ajudar. Os macacos pegaram cascas de nozes para carregar água.
No fim, todos os animais, cada um de seu jeito, acharam maneiras de colaborar na luta. Pouco a pouco, o fogo começou a diminuir, quando, de repente, Deus, o dono da floresta, admirando a bravura destes bichinhos, e, comovido, enviou uma chuva que apagou de vez o incêndio e refrescou todos os animais, já tão cansados, mas felizes.

É comum o desânimo se instalar por concluir que é insignificante a participação. Não importa o tamanho do incêndio, mãos à obra, cada um fazendo a sua parte. Muitos incêndios poderão ser apagados a partir da iniciativa de cada um. Deus completará a obra. Ele mandará a chuva!

Nenhum comentário:

Postar um comentário